Moraci Sant’Anna, ex-preparador físico da Seleção Brasileira, foi convidado pelo PodCopa, da ESPN, e lembrou o fracasso da Seleção de 2006 que chegou recheada de craques como Ronaldo, Ronaldinho, Adriano e Kaká, mas acabou falhando, sendo eliminado nas quartas de final pela França. Mas a decepção no Mundial, veio como consequência de uma série de problemas enfrentados pela equipe.

 

‘’Em 2006 quando nós nos apresentamos, diferentemente dos outros anos, a gente tinha que fazer uma lista dos jogadores já convocados um mês antes. Quando fizemos a avaliação, pelo menos oito daqueles 22/23 jogadores, apresentaram problemas. Eu cheguei a comentar com o Parreira: ‘Não tem milagre, temos três semanas apenas. Não temos como coloca-los em forma já para o início da competição. Pode ser que durante a competição a gente consiga fazer com que esses atletas entrem em forma’. Uns por peso, outros por esgotamento, como foram os casos do Roberto Carlos, que tinha jogado a maioria das partidas, e do Cafú, que estava chegando de uma cirurgia no menisco”, recordou Sant’Anna.

 

Uma das polêmicas que a equipe precisou enfrentar, foi o fato de Ronaldo chegar acima do peso para a disputa do Mundial. “Tivemos problemas de peso e de forma (física) com jogadores. Não querendo criticar, mas alguns não se cuidaram nesse período que antecede a apresentação. Tem um vácuo do anúncio de quem está convocado até o início do trabalho. Eu acho que se eles tivessem se cuidado, teriam chegado melhor para o trabalho. Eu fui bem claro com o Parreira. Eu repetiria todo o trabalho e não mudaria nada pelo tempo que a gente tinha e pelas condições que eles chegaram’’, disse Moraci.

Outro problema enfrentado pela equipe foi a presença de milhares de torcedores durante a preparação na Suíça. ‘’Isso (oba-oba com torcedores nos treinamentos) atrapalhou muito. Treinar com 5 mil torcedores... Esse negócio de concentração, de estar ligado para a Copa do Mundo, se perdeu ali. Nós fomos saber disso no segundo dia de treino. Eu levei o pessoal no segundo dia de manhã para a sala de musculação e o Américo me disse que eu teria que levar os jogadores para o campo. Eu disse: ‘Por que? Nós vamos treinar aqui, eu já conversei com os jogadores’. Aí disseram que eu tinha que levar lá porque tinham 5 mil torcedores que tinham pagado ingresso para ver. Eu falei: ‘Você está brincando’...”, disse antes de completar: 

“Naquele dia eu desci depois da musculação e fiquei empurrando o treino durante 15, 20 minutos. Eles falaram: ‘Professor, como é que é? Eu vou ficar aqui treinando até que horas?’. Levei os caras para o meio de campo para alongar... enchi linguiça lá durante quarenta minutos para justificar o ingresso que o cara tinha pago. Sofremos um pouco com isso na Copa de 2006’’, completou.