Hernán Crespo desembarcou no CCT da Barra Funda em fevereiro e pouco tempo depois tirou o clube da fila, com o título do Campeonato Paulista. O início dava pinta que o São Paulo ia voar na atual temporada, conseguindo talvez beliscar uma vaga direta à próxima edição da Conmebol Libertadores. No entanto, as frustrações chegaram e o trabalho foi interrompido em outubro. 

Rogério Ceni assumiu e soma apenas nove partidas à frente do Tricolor do Morumbi, contando apenas esta segunda passagem; a primeira foi entre dezembro de 2016 e julho de 2017. O aproveitamento de 44,4% com o ex-goleiro no comando não chega perto dos 54,3% que Crespo havia conseguido alcançar. Ambos os treinadores sofrem com jogadores no Reffis frequentemente. 

Um dos motivos para o SPFC não estar conseguindo embalar uma sequência de vitórias é a má fase de Emiliano Rigoni. Há 11 jogos sem balançar as redes no Brasileirão Série A, o camisa 77 acumula quatro gols e quatro assistências em 26 rodadas que foi acionado. A última vez que o atacante marcou foi no empate em 1 a 1 diante da Chapecoense, no dia 03 de outubro, em casa. 

Ceni assumiu o Soberano no dia 13 de outubro, 10 dias depois de Rigoni marcar pela última vez com a camisa tricolor. No total, pelo clube paulista, são 11 gols e cinco assistências em 34 duelos. Nas redes sociais, a torcida atribui a queda de rendimento recente a saída do compatriota Hernán, que está perto de assinar com o Elche, da Espanha. 

Na manhã desta quinta (25), o nome de Hernán Crespo entrou nos Trends Topics do Twitter. Dentre as menções, é possível ver: “(Rigoni) Continua perdendo gols importantes, quer enfeitar todas as jogadas”, pontuou um torcedor. Outro acrescentou: “Saudades do Rigoni da época Crespo”. E há quem defenda o baixo rendimento: “Mano, ele joga sozinho. Chuta, cruza e cabeceia. Não chega uma bola nele, só chutão”, disse um internauta.