arrow_drop_down
search
Pelé faz revelação sobre time da infância e fala sobre Copa Rio de 51

Futebol: Mais notícias

Futebol Geral

Pelé sai do silêncio e faz alegria da Fiel com revelação sobre time da infância; torcida do Palmeiras fica na bronca com "Mundial"

Atleta do Século XX deu entrevista à CNN Brasil e falou também sobre seu estado de saúde

Bolavip

Pelé faz revelação sobre time da infância e fala sobre Copa Rio de 51

Pelé faz revelação sobre time da infância e fala sobre Copa Rio de 51

Pelé, o maior jogador de todos os tempos, voltou a falar com imprensa. Em entrevista à CNN Brasil, o tricampeão mundial com a Seleção Brasileira falou sobre seu estado de saúde, negou que tenha depressão e ainda comentou sobre sua infância e os times que torcia quando garoto. 

""Eu era BAC (Bauru Atlético Clube), porque meu pai jogava lá, mas tinha uma simpatia, e meus amigos todos torciam pro Corinthians. Meu irmão Zoca era palmeirense. Às vezes a gente ia jogar partida de botão e eu perdia para o Zoca. E era Corinthians o meu time de botão. Então, meu time de simpatia era o BAC, mas o time de botão era Corinthians"", lembrou o Rei.

Pelé falou sobre a Copa Rio de 1951 - Foto: A Gazeta Esportiva Ilustrada, Pelé e Vava, 1962

Já sobre o Palmeiras e a interminável discussão sobre a Copa Rio de 1951, Pelé também deu sua opinião e movimentou as redes sociais: "Não é um campeonato mundial. Não era um torneio como os torneios mundiais disputados hoje, como os que o Santos ganhou", comparou.

Sobre a saúde, o ídolo santista negou uma suposta depressão - seu filho Edinho havia dito que o pai estaria "bastante fragilizado em relação à mobilidade" e que esse problema estava causando "uma certa depressão" -  e disse estar bem mas que apenas preferia ter chegado à entrevista sem o andador: "Inventaram que eu estou deprimido, mas não é verdade", disse.

Por fim, o Rei do Futebol ainda deu declarações sobre o racismo no futebol e no esporte em geral. Para ele, nada mudou desde seus tempos de jogador. A única diferença é que hoje em dia a imprensa passou a “repercutir, denunciar” algo que antigamente ficava mais escondido e ainda opinou sobre o modo como se joga futebol hoje: "No meu tempo, com todo respeito aos meus colegas, acho que a gente tinha mais liberdade de parar a bola. Agora nem tanto mas sempre fui muito preocupado com meu preparo físico então, acredito que seria o mesmo".

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.