Na noite desta última quarta-feira (25), no Rio de Janeiro, o Internacional amargou mais um tropeço no Campeonato Brasileiro e foi derrotado pelo Fluminense, em pleno Maracanã. Com desfalques e improvisos, Aguirre não conseguiu escalar uma equipe competitiva e viu o time carioca dominar boa parte das ações ofensivas desde o início da partida.

“Quando você planeja um jogo e imagina situações, mas no primeiro minuto há um pênalti totalmente involuntário, tudo muda. Parece que a escalação foi ruim, o time não jogou. Eles encontraram o pênalti e foi um golpe duro. Depois se fecharam atrás. Tentamos a todo momento, mas não conseguimos”, explicou o treinador, em coletiva.

Com o resultado, o Colorado se manteve em oitavo na tabela de classificação e soma 47 pontos. O próximo compromisso será contra o Santos, no domingo (28), às 19h (de Brasília), no Beira-Rio. Aguirre também citou Paulo Paixão, pivô de uma enorme polêmica esta semana, durante sua entrevista. Segundo ele, o grupo não ficou abalado e manteve o foco.

“A respeito do áudio, acho que não influenciou (na derrota para o Fluminense). Conversamos com os jogadores e acho que está tudo bem. Rapidamente tentamos focar no jogo, mas isso não foi nada que atrapalhou. Eu falei com eles (jogadores) individualmente e com o grupo. Não quero falar mais porque foi uma opinião dele (Paulo Paixão). Não reflete a comissão”.

“Ainda não acabou. Temos de reverter. Temos ainda três jogos pela frente. Sempre falo a mesma coisa. Quando se tem uma fase ruim, a primeira coisa a se fazer é ganhar o próximo jogo. Vamos fazer de tudo para ganhar no domingo. Aí vamos ver o que acontece. É uma situação difícil na tabela. Imaginávamos outra situação”, completou.