Após perder nos minutos finais para o Palmeiras, na última segunda-feira (20), no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro, o São Paulo terá a chance de dar o troco no rival nesta quinta-feira (23), novamente em seus domínios, mas dessa vez pela partida de ida da Copa do Brasil. Para o duelo deste meio de semana, Rogério Ceni trabalhou bastante para reparar os erros da equipe. Para o embate de logo mais, o comandante deve fazer mudanças nas laterais, no meio e no ataque. 

Quem também está trabalhando nos bastidores é o presidente Julio Casares. Após encaminhar a contratação de Marcos Guilherme, que rescindiu com o Inter, a diretoria são-paulina quer pelo menos mais um atacante de ponta. E quem voltou a ter seu nome ventilado no clube foi Soteldo. Em janeiro, o atacante negociou com a alta cúpula do Tricolor, mas na ocasião, seu ex-clube, o Toronto FC não aceitou liberar o Venezuelano para o time paulista. 

 

 

Agora a situação parece estar mais a favor da equipe do Morumbi. Isso porque o Tigres do México quer negociar o atacante após o venezuelano cometer atos de indisciplina. Para ter o atleta e finalmente atender um dos pedidos de Ceni, Casares já definiu a estratégia para trazer o profissional de 26 anos ao CT da Barra funda. 

 

 

Segundo o portal Lancenet!, Casares está atrás de um empréstimo bancário de R$ 25 milhões para atender o pedido do time mexicano. Ainda de acordo com a reportagem, os conselheiros analisarão três empréstimos: um de R$ 12,2 milhões com o banco Daycoval, feito em maio e com vencimento no mesmo mês em 2025, e dois com o banco Rendimento, de R$ 5 milhões, um em março com vencimento em setembro deste ano e outro de R$ 8 milhões em maio com vencimento para maio de 2025. Na visão de alguns dirigentes, esse valor além de trazer um atacante pedido por Ceni irá ajudar bastante o clube no fluxo de caixa. 

 

 
 

Esse não foi o primeiro empréstimo feito pelo São Paulo em 2022. O portal Lancenet também informou que em abril, Deliberativo aprovou o empréstimo de R$ 20 milhões feito pelo clube com a BTG Pactual, que tinha a mesma finalidade.