A Seleção Brasileira é uma das grandes favoritas a conquistar o título da Copa do Mundo em 2022, mas o técnico Tite enxerga que existe algo além no olhar de alguns com relação a equipe canarinho. Para o treinador, a Seleção é o time mais invejado do mundo e ainda afirmou que carrega o legado de grandes craques que construíram a história com a camisa verde e amarela.
 


"Muita gente tem inveja do Brasil. Eles não admitem. Talvez seja o time mais invejado do mundo. Esse é o legado que carrego, o legado que carregamos, a história de ter Pelé, Zagallo, Tostão, Garrincha. Se Zagallo é criticado, como eu não posso ser? O Brasil é o mais invejado? Acho que sim, mas quando saio todo mundo me pergunta como aguento a pressão de ser o técnico da seleção brasileira", disse em entrevista ao jornal inglês The Guardian.

Além de destacar o legado e a pressão por liderar a Seleção. Tite também afirmou que vive a expectativa de conquistar o título no Qatar. "Como eu estou? Estou na expectativa, mas focado. Chegamos à Copa do Mundo. Agora, é hora de chegar à final e ser campeão. Essa é a verdade. Na última Copa do Mundo, eu fui técnico por outras circunstâncias [Dunga foi demitido em 2016 e Tite assumiu]. Agora, tive a oportunidade de fazer o ciclo completo de quatro anos. As expectativas são altas, mas o foco está no trabalho.". 

Durante a entrevista o técnico foi questionado a cerca da ascensão de Vinicius Junior e a situação de Neymar na Seleção, e Tite defendeu que Neymar continua sendo o principal jogador da equipe. "Neymar é Neymar. Ele continua sendo nossa maior estrela. A diferença agora é que o brilho é diluído por estrelas próximas que também podem brilhar. A grandeza de Neymar é que ele entende isso - sobre o crescimento desses jovens. Ele encoraja os meninos a subir de nível. O tempo e a experiência proporcionam essa maturidade", declarou.