Nesta segunda-feira (13), o São Paulo anunciou uma nota oficial em suas redes sociais, na qual divulgou a saída do técnico Hernán Crespo e de seus assistentes. O argentino não aguentou a série de resultados ruins e deixou o comando da equipe com o título do Campeonato Paulista. 

Agora, a diretoria estuda nomes no mercado para comandar a equipe ao menos, até o final do Campeonato Brasileiro, onde a equipe figura apenas na 13ª colocação. O que mais é ventilado e tratado como ''óbvio'', é o do ídolo do clube, Rogério Ceni, que estava no Flamengo. 

Para muitos, Ceni é o maior ídolo da história do São Paulo e está livre no mercado desde a saída do clube carioca. A pressão em cima de Crespo, também tinha a porcentagem do ex-goleiro livre no mercado. Vale ressaltar, que o treinador preferido do presidente Julio Casares durante a campanha para a presidência era o ''Mito''. 

Na ocasião, o treinador estava fazendo um bom trabalho no Fortaleza e nos arredores do Morumbi, era nítida a ''chegada'' de Rogério ao final da temporada 2020, mesmo em caso de título com Fernando Diniz, embalado no Brasileirão e Copa do Brasil. 

Rogério Ceni comandou o São Paulo em 2017, tendo a sua primeira experiência como treinador. Disputou 35 partidas oficiais, em quatro competições: Brasileirão, Copa do Brasil, Sul-Americana e Paulista. Foram 14 vitórias, 11 empates e 10 derrotas. O aproveitamento é de aproximadamente 50,48%, com 55 gols feitos e 42 sofridos.