A Bola de Ouro é uma premiação entregue pela Revista France Football, criada em 1956 para reconhecer o melhor jogador de futebol do ano. Inicialmente o prêmio era entregue apenas à atletas atuando na Europa, com o passar do tempo passou a abranger todo o mundo. E apesar de Segundo a FIFA, a primeira partida oficial entre mulheres ter sido disputada em 23 de março de 1885, em Crouch End, Londres, Inglaterra, foi apenas em 2018 que a France Football decidiu criar uma premiação equivalente para ser entregue as mulheres: a Bola de Ouro Feminina.

 

A primeira a receber o reconhecimento foi Ada Hegerberg, superestrela do Lyon. Em 2018, ano da entrega do prêmio, a jogadora venceu a Liga Francesa e a Champions League, marcando 50 gols na temporada 2017/18, sendo que 15 deles foram pela Champions. Em 2019 foi a vez de  Megan Rapinoe, jogadora destaque da Seleção dos Estados Unidos que marcou seis gols em cinco jogos na Copa do Mundo na França. Além da tão desejada Bola de Ouro, Rapinoe conquistou também a Chuteira de Ouro e o prêmio FIFA The Best. Devido a pandemia da Covid-19, em 2020 a revista decidiu não entregar a Bola de Ouro.

Este ano, o prêmio foi entregue a uma outra talentosa jogadora. A meia-atacante Alexia Putellas foi a melhor jogadora do mundo na temporada. Mas quem é? E quais os méritos da jogadora que se tornou a terceira mulher da história a receber um dos mais importantes prêmios para o futebol mundial?

Alexia Putellas Segura nasceu em 4 de Fevereiro de 1994, em Mollet del Vallès , município da província de Barcelona, em uma família de jogadores de basquete, mas aos seis anos a jovem espanhola começou a desenhar a sua trajetória no futebol, dando seus primeiros passos em 2001 no CE Sabadell. Em 2005, Putellas passou um ano na academia de juniores do FC Barcelona. Aos 12 anos ela ingressou na equipe juvenil do RCD Espanyol , e lá ficou por quatro anos. Aos 16 estrou no futebol profissional, também pelo RCD Espanyol. Aos 17 anos assinou com o Levante. E foi finalmente em 2012 que Putellas regressou ao Barcelona para fazer história.

 

No Camp Nou a talentosa jogadora passou a acumular títulos, foi com as blaugranas que ela venceu cinco vezes o Campeonato Espanhol, seis vezes a Copa da Rainha, uma Supercopa da Espanha, sete Copas da Catalunha e uma Champions League. E a atuação de destaque no Barça colaborou para que a jogadora se estabelecesse na Seleção Espanhola com a qual conquistou a uma Taça Algarve e uma Taça Chipre. No sub-17 foi bicampeão da Euro, vencendo com a seleção as edições de 2010 e 2011.

Putellas é uma meia-atacante canhota agressiva que sabe criar no meio de campo e é matadora na média e curta distância, que marcou 13 gols em 56 jogos pela Seleção. Ao receber o prêmio ela agradeceu as suas companheiras de Barcelona, que juntas com ela conquistaram a tríplice coroa nesta temporada (Champions, Liga e Copa).

 

“Estou emocionada, que momento especial para mim. É muito especial ter aqui na plateia minhas colegas, vivemos tantas coisas juntas, e passar agora por esse momento me deixa muitíssimo feliz. Gostaria de começar agradecendo a todas as minhas colegas, com quem joguei ao longo da carreira e aquelas com quem jogo hoje. É um prêmio individual, mas eu divido com vocês”, disse.

.

Ela ainda dedicou o prêmio a seu pai que faleceu em 2012. "Gostaria de dedicar esse troféu a uma pessoal que foi e sempre será muito especial para mim, pela qual faço tudo. Espero que você esteja muito orgulhoso da sua filha, meu pai, onde você estiver", finalizou.