Como forma de incentivar as mulheres no mundo do poker a maioria das grandes séries possuem eventos destinados para o sexo feminino. Na WSOP que está sendo realizada no Cassino Rio, em Las Vegas, o Evento #22 Ladies era voltado para jogadoras, no entanto, um homem se infiltrou entre elas e causou uma grande polêmica.

O fato aconteceu porque as regras do jogo no estado de Nevada não permitem proibir alguém de se inscrever em uma competição por conta do gênero. Sendo assim, a WSOP coloca o buy-in deste torneio em US$ 10.000, mas as mulheres recebem um desconto de 90%, pagando US$ 1.000. Quem decidiu pagar dez vezes mais o valor da entrada foi Tom Hammers, no entanto, ele tinha uma boa causa em mente.

Residente em Minessota, ele engatou na disputa ao lado da esposa e da enteada, mas garantiu que qualquer premiação oriunda do torneio seria doada. “Ainda não decidimos uma instituição de caridade específica, mas queríamos dividi-la entre duas coisas, se houver algum lucro. Um para um abrigo para mulheres agredidas, e talvez um tipo de coisa para mulheres sem-teto, e ajudar as mulheres em geral", disse em entrevista para o PokerNews.

A atitude de Hammers dividiu opiniões. Muitas mulheres não gostaram do que ele fez e quando o jogador foi eliminado duas horas depois de ter se registrado aconteceram aplausos e cantorias no salão. Chad Holloway, editor do PokerNews aprovou a atitude, mas Katie Stone não gostou do feito. “Quem se importa com as intenções deles? As mulheres que se registraram querem jogar contra mulheres. Ele está sendo egoísta e desrespeitoso”, escreveu nas redes socias.

A verdade é que o jogador de Minessota foi eliminado bem antes de qualquer premiação e só ajudou a engordar a premiação do torneio. Nenhum homem jamais venceu a competição Ladies do WSOP, mas em 2009 Abraham Korotki venceu um campeonato feminino em Atlantic City, no Borgata Poker Open.