Há quase 1 mês, Renan, que pertence ao Palmeiras e estava emprestado ao Red Bull Bragantino, se envolveu em um acidente de trânsito com morte. De acordo com o relatório da polícia, o zagueiro se recusou a fazer o teste do bafômetro e apresentava sinais de embriaguez. A colisão ocorreu na Rodovia Alkindar Monteiro Junqueira, em Bragança Paulista, interior de São Paulo.

 

 

Mais especificamente, segundo informações passadas diretamente pelos órgãos da região, o beque de 20 anos bateu o carro com um motociclista, de 38 anos, que morreu no local. Em decorrência desse ocorrido, foi diretamente encaminhado ao plantão da Polícia Civil de Bragança para registro da ocorrência.

 

 

Pouco tempo após o ocorrido, o Verdão rescindiu o contrato por justa causa. Porém, nesta quinta-feira (18), conforme publicou o Globo Esporte, o defensor foi autorizado pela Justiça a deixar o Brasil para retomar sua carreira como jogador. Essa decisão da juíza Nicole de Almeida Campos Leite Colombini atende a um pedido da defesa.

 

 

Ainda de acordo com a fonte acima citada, Renan terá seu passaporte de volta e poderá deixar o país de forma normal, visando sua reinserção no mercado de trabalho. Além disso, o atleta deve se apresentar à Justiça a cada quatro meses ou quando for intimado. Vale lembrar que o Ministério Público e a defesa da família da vítima concordam com a decisão.

 

 

Importante destacar que essa resposta positiva da magistrada se deu pelo fato de que levaram em consideração que o garoto tem colaborado com as investigações, fez o pagamento da fiança e que fez acordo para indenizar a família de Eliezer Pena, que deixou esposa e duas filhas, mas os valores não foram revelados.