Durante a história dos Jogos Olímpicos, é tradição que algumas pessoas caminhem pelas ruas do país sede com a tocha olímpica. No Japão não foi diferente, tivemos até Zico, ex-jogador do Flamengo e da Seleção Brasileira, carregando a tocha. Porém, muitas pessoas já se perguntaram se é possível apagar a tocha olímpica.

Sendo direto, a resposta é sim. Apesar de, no mês passado, uma senhora de 54 anos ter tentado apagar o fogo com uma pistola d'água, nas Olimpíadas do Rio-2016, a tocha se apagou no primeiro dia do revezamento da chama olímpica no Brasil, em maio. Apesar de projetada para ser o melhor isqueiro do mundo, pronto para aguentar chuva, ventania e o que mais vier. 

A ideia do "fogo eterno" tem um fundo simbólico: a chama é acesa no santuário de Olímpia, na Grécia. Mas não vai só para a tocha. A chama também é passada para um lampião, que tem combustível para queimar por 15 horas. Quando o gás está acabando, uma lanterna igual é acesa com a mesma chama.

No total, quatro desses lampiões entram no processo para carregar o fogo olímpico, viajando o mundo todo para ficar reacendendo a tocha. Assim, por mais que elas tenham andado de mão em mão e apagado de vez em quando, o fogo que chega ao Estádio Olímpico é o mesmo que fora aceso no santuário.