Parece que Julianna Peña não gostou nada de perder a oportunidade de disputar o cinturão linear do peso galo. A luta contra Amanda Nunes foi cancelada após a campeã brasileira ter testado positivo para covid-19.

Em entrevista nos bastidores do UFC 265 que marcaria o duelo pelo cinturão. Penã revelou estar frustrada, principalmente porque tomou conhecimento que Amanda não estava treinando para o confronto antes mesmo de contrair o vírus. “Eu ouvi de um parceiro de treinos dela que ela nem tem treinado. Até quando ela estava saudável, e ela está saudável, que ela mal tinha ido à academia. Então, essa parte é frustrante para mim, porque tenho feito dessa luta minha prioridade”.

Apesar de compreender o momento vivido por Amanda Nunes que acabou de se tornar mãe e pode estar desmotivada a lutar, para priorizar a maternidade, a lutadora americana acredita UFC deveria criar um cinturão interino da categoria. “Eu tenho feito coisas de mãe também. Quero aproveitar e dizer que eu entendo a posição dela. Ela é uma mãe recente. Ela quer aproveitar este tempo com sua filha, e ela não tem um pouco de motivação para sair para uma luta quando quer passar um tempo com sua filha. Eu entendo, já estive nessa mesma posição. Mas, se não lutar até dezembro, serão dois anos desde que ela defendeu o cinturão do peso-galo. Temos que manter o trem em movimento. Vamos colocar lá uma garota que esteja pronta para detonar e vamos lutar por um cinturão interino, e quando ela estiver pronta para voltar, pode vir tentar arrancá-lo de mim.”, disse.

Mesmo visando uma possível disputa pelo interino, Peña afirma que deseja realizar o combate contra a atual campeã. “Vou continuar a melhorar e aprimorar minhas habilidades, e fazer tudo que eu preciso fazer para ter certeza de que, quando dezembro chegar, ou seja lá quando ela estiver bem e preparada, eu vou estar pronta”, afirmou.