Galo ainda sonha com título do Brasileirão

É possível dizer que o Atlético vive sua melhor fase da temporada quando ela está quase no fim. Muitos torcedores afirmam que o Galo poderia estar mais próximo do título caso o desempenho fosse o mesmo desde o início.

Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Atlético  Foto: Gilson Junio/AGIF
Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Atlético Foto: Gilson Junio/AGIF

No momento, o time comandado por Luiz Felipe Scolari ocupa a quarta colocação do Campeonato Brasileiro, com 60 pontos conquistados – três a menos que o atual líder, o Palmeiras.

No último final de semana, inclusive, venceu o Grêmio (que também briga pelo título) por 3 a 0. Em partida disputada da Arena MRV, o Galo bateu os gaúchos com gols de Arana, Zaracho e Hulk.

Enquanto o time vai engrenando, fora das quatro linhas o Galo pode perder uma peça importante. Com contrato até 2026, Rodrigo Caetano é especulado no Corinthians, que tem presidente novo.

Caetano pode deixar o Atlético

Em entrevista o canal ‘Bica Galo’, Caetano foi sincero sobre o tema e afirmou que não recebeu nenhum contato de Augusto Melo ou de ninguém ligado ao clube paulista, mas que se acontecer irá comunicar aos dirigentes atleticanos.

“(Sobre) Essa questão especulada, o que eu posso te dizer é que não tive nenhum tipo de reunião ou conversa com o presidente eleito do Corinthians até esse presente momento. Nenhuma reunião presencial e, até esse momento, nenhum tipo de proposta”, comentou Caetano.

Galo deveria tentar segurar Rodrigo Caetano?

Galo deveria tentar segurar Rodrigo Caetano?

0 PESSOAS JÁ VOTARAM

“Não aconteceu ainda, e se algum momento tiver proposta, certamente as primeiras pessoas que saberão disso serão as pessoas que comandam o clube hoje. Não saberão pela mídia nem tampouco algum veículo de imprensa. Hoje é outro tipo de assunto, sei que foi ventilado. Não é benéfico falar sobre isso em um momento de decisão”, completou. “Realmente a partir do final deste ano, ambas as partes poderiam seguir seus caminhos, por mais que tenha contrato pela frente, uma rescisão sem ônus para ambas as partes”, concluiu.

Massa comenta sobre a situação; veja: