arrow_drop_down
search
Foto: Ricardo Duarte/Inter/Divulgação

Futebol Internacional

"Vamos acabar com esse jejum. Incomoda bastante o grupo"; Yuri Alberto chama responsa e projeta Gre-Nal

Após assumir a liderança da competição nacional, o Colorado recebe o seu maior rival e quer dar fim a sequência sem vitórias no confronto direto

Bolavip

Foto: Ricardo Duarte/Inter/Divulgação

Foto: Ricardo Duarte/Inter/Divulgação

O Inter chega para o Gre-Nal 429 em grande fase na temporada 2020. Acumulando sete vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro, o Colorado vem embalado pela goleada por 5x1 diante do São Paulo no último meio de semana, que deixou a equipe do técnico Abel Braga na liderança após a disputa de 31 rodadas. 

Na tarde de domingo (24), às 16h (de Brasília), o Inter recebe o Grêmio no Beira-Rio e não vê a hora de encerrar o jejum que já dura 11 partidas. A última vitória colorada em clássico aconteceu no dia 9 de setembro de 2018. Na oportunidade, Edenilson marcou no triunfo por 1x0, também no Beira-Rio e pelo Brasileirão. 

Uma das principais esperanças do Inter para encerrar a série negativa é o atacante Yuri Alberto, que vem de três gols marcados contra o São Paulo. "Será o meu primeiro Gre-Nal. No meu primeiro dia, teve um, mas não estava no BID. Depois, eu estava machucado. O grupo está muito confiante. Vamos acabar com esse jejum, se Deus quiser. Incomoda bastante o grupo, mas estamos confiantes, fechados para acabar", projetou, em entrevista ao Globoesporte.com

Foto: Ricardo Duarte/Inter/Divulgação
Contra o São Paulo: Yuri Alberto anotou um hat-trick (Foto: Ricardo Duarte/Inter/Divulgação)

Desde a mudança de técnico, o camisa 11 vive seu melhor momento no clube e se tornou peça-chave na equipe. "Logo quando cheguei, eu tive uma lesão. Pensei que estava bem, mas os treinos eram muito intensos. Tive uma lesão que foi muito importante para recuperar a condição. Ele (Coudet) começou a me colocar. Joguei contra o Sport, o Coritiba. Com a chegada do Abel, que tenho muito carinho e ele por mim, tenho buscado ajudar. Passa muita tranquilidade, confiança, que ajuda muito. Seja para eu atuar como centroavante ou ponta", adicionou. 

O atacante também avaliou qual foi o momento que o Colorado "virou a chave" para engatar na boa fase atual. "Acho que não foi contra o Boca (Juniors, na Libertadores), mas diante do América-MG lá no Horto. Ali teve uma troca de chave. A mudança do Coudet pelo Abel foi difícil mudar os hábitos do dia para a noite. Precisa respeitar os momentos, mas ali já mudou. Há um tempo, mas agora brigamos pela liderança do Brasileirão", completou. 

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.