arrow_drop_down
search
Thiago Lopes e sua cadeira cativa no Coritiba vai acabar?

Futebol Coritiba

Thiago Lopes e sua cadeira cativa no Coritiba... Saída do time (obrigada) para jogo de 4ª é um presságio?

Camisa 14 não jogará na partida de volta contra o Cianorte por ter levado o terceiro cartão amarelo e desempenho ineficaz do meia faz com que Barroca possa repensar seu time ideal (sem Lopes) às vésperas do início do Campeonato Brasileiro

Bolavip
Rogério Scarione

Thiago Lopes e sua cadeira cativa no Coritiba vai acabar?

Thiago Lopes e sua cadeira cativa no Coritiba vai acabar?

São 14 jogos na temporada, 30 jogadores utilizados pelo técnico Eduardo Barroca e apenas um atuou em todas as partidas. Você, torcedor do Coritiba, sabe me dizer quem é o digníssimo? Sim, se você disse Thiago Lopes, você acertou!

Já questionei alguns colegas de imprensa que acompanham o dia a dia do time, (ex) companheiros de equipe, diretores do clube e as respostas são sempre as mesmas: “Thiago Lopes treina muito bem”, “Tá voando nos treinos” e por aí vai...

Junta-se a isso o fato de ele atuar em mais de uma função e estar sempre disposto a se adaptar à proposta do treinador. Prova disso é que já jogou de meia, volante, ponta e até lateral. Contra o Cianorte, o camisa 14 jogou na ponta direita do ataque, cumprindo a função do poupado Rafinha. 

E não adianta, vai treinador, vem treinador e Thiago Lopes continua no time. Por mais que a torcida reclame, ele sempre vai estar lá. Mas o fato é que não dá mais!

Entrega de Thiago Lopes em campo não está em discussão, mas o que acrescenta na questão técnica (Foto: Divulgação/Coritiba)

É como diz a velha máxima do esporte: treino é treino e jogo é jogo. Não é possível que Barroca não enxergue que o jogador não vem agregando ao time. Contra o Paraná, no meio de semana, mais uma vez o meio campo do Coritiba não existiu, não havia criação no time.

Contra o Cianorte, no último domingo (26), o Coritiba mostrou um maior equilíbrio no meio de campo, mas muito por conta da saída de Lopes daquele setor e a entrada de Matheus Galdezani. O time se tornou menos vulnerável no círculo central, fechou os espaços, realizou a transição com mais segurança e ficou mais tempo com a bola. 

De fato, Thiago Lopes é um jogador que se entrega em campo, isso não discuto, mas questiono o quanto ele entrega ao time. Em 2020, participou de todos os jogos e não fez muita coisa, além de um bonito gol de falta, contra o mesmo fraco Paranazinho, ainda na primeira fase. Será mesmo que isso justifica essa insistência nele? Antes era a falta de paciência da torcida, mas e agora, que também não rendeu mesmo sem a presença dos cornetas? 

É muita transpiração e pouca inspiração. Para ser titular do Coritiba, precisa de muito mais!

Pelo menos, para o jogo de volta contra o Cianorte, o homem finalmente vai sair. Nem no banco estará, porque, como levou o terceiro cartão amarelo, cumprirá suspensão automática.

Será que Barroca vai repensar seus planos se o Coxa mostrar maior evolução no meio na quarta (29)? Esperamos que sim, já que o início da Série A está logo ali na frente. 

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.