Faltando pouco mais de dois meses para o final da temporada, a situação de Moisés no Internacional segue repercutindo entre os torcedores nas redes sociais. O camisa 20 tem vínculo expirando em dezembro, ainda de empréstimo junto ao Bahia. Curiosamente o clube do Nordeste recebeu R$ 2,25 milhões em 2020 para cedê-lo ao Colorado por duas temporadas. Em troca, recebeu o lateral Zeca, que hoje nem está mais em Salvador.

Detalhe: Moisés tem contrato em definitivo no Esquadrão até o final desta temporada. E como que fica a situação? Alexandre Ernst, colunista do portal Vozes do Gigante, apurou detalhes importantíssimo envolvendo o contrato de Moisés com o Inter. "Neste momento, a tendência é que o lateral-esquerdo permaneça em Porto Alegre e seja comprado em definitivo junto ao Bahia", atualiza o setorista do Colorado. 

Só que as contas para o Inter adquirir Moisés dão o que falar. Primeiramente, o Inter terá que desembolsar mais R$ 3 milhões aos baianos, mas não necessariamente à vista. No acordo entre os clubes, estão previstas três parcelas de R$ 1 milhão a cada 30 dias. Ou seja: montantes iguais em janeiro, fevereiro e março de 2022.

O que causa polêmica e até rejeição é o fato de o Inter ter que pagar mais R$ milhões por mais 15% de Moisés - quando pagou pelo empréstimo, em janeiro de 2020, os gaúchos ficaram com 15% iniciais, ou seja, se depositar mais R$ 3 milhões, terá 30% no total do LE. "Não me parece producente", critica o colega em sua matéria. O Corinthians ainda guarda 40% do atleta, enquanto que os demais 30% pertencem ao atleta de 26 anos.

Segundo Ernst, mesmo que neste momento a tendência é o Inter comprar Moisés do Bahia, o jovem Paulo Victor, que foi contratado junto ao Botafogo, é o favorito a ser titular em 2022. O camisa 20 seria um "reserva respeitado e com voz no vestiário", informa o colega do Vozes do Gigante. Vale lembrar que hoje o jogador recebe na casa dos R$ 210 mil mensais.