O Vasco já sabe que irá jogar a Série B do Campeonato Brasileiro em 2022 e inicia alguns planejamentos, justamente para não cometer os mesmos erros dessa atual temporada e garantir o acesso o quanto antes. A equipe está sem comissão técnica definida, ou seja, a prioridade de momento é escolher um comandante que possa ajudar no projeto.

 

 

Após isso ser definido, juntamente com um substituto para Alexandre Pássaro, serão feitas reuniões para analisar possibilidades no mercado de transferências, visando contratações que sejam interessantes e estejam dentro do poderio financeiro do Cruz-Maltino. Além disso, alguns jogadores podem deixar o elenco, da mesma forma que outros, emprestados, podem nem voltar.

 

 

Esse último caso tem como "ator principal" o goleiro Fernando Miguel, que foi cedido ao Atlético-GO até o final de 2021 e vem se destacando, mesmo que o time goiano não venha fazendo uma competição de alto nível, com riscos, inclusive, de ser rebaixado. Mesmo assim, os dirigentes já deixaram claro que gostariam de manter o goleiro por mais 1 ano, ou seja, toparia negociar com o Gigante da Colina por uma prorrogação.

 

 

Porém, as tratativas só serão iniciadas após o final do Brasileirão, quando tiver uma definição sobre o futuro. Comandado pelo ex-técnico do Vasco Marcelo Cabo, o Dragão é o 15º colocado, com apenas 3 pontos do Bahia, o primeiro dentro do Z-4. Em contato com o GloboEsporte.com, Adson Batista, presidente do Atlético-GO, explicou a situação:

 

 

"Só vamos conversar após o campeonato. O Fernando Miguel está muito integrado aqui e o ambiente dele no Vasco não era muito bom. Mas primeiro vamos definir nossa vida no Brasileiro, e partir daí vamos conversar. Ele tem contrato com o Vasco. Minha relação com Vasco e com o Fernando é muito boa e tenho interesse que ele fique na próxima temporada. A vontade do jogador também vai pesar. Já conversei com ele de forma amistosa, informalmente, mas só vamos definir qualquer coisa após o Brasileiro", ressaltou.