Uma discussão que tem tomado conta do noticiário de Copa do Mundo é a realização entre dois e dois anos. Desde o surgimento do Mundial, as edições acontecem a cada quatro anos, com os Jogos Olímpicos acontecendo no meio do ciclo. Porém, há muitos defensores de que isso seja alterado, como o ex-treinador do Arsenal Arsène Wenger.

Em entrevista ao repórter Martín Fernández, do site GE, o francês diz que pode diminuir a distância entre as seleções: “Descobri que o desenvolvimento do futebol é muito desigual em todo o mundo, e nem todos têm as mesmas oportunidades. Garotos e garotas na Europa Ocidental têm um ambiente fantástico para desenvolver o seu talento em termos de estrutura, treinadores, programas de treino e competições”.

Wenger ainda propõe uma diminuição no número de jogos: “Minha proposta é deixar o calendário mais simples, claro e focar em competições que sejam realmente significativas, pois isso é o que jogadores e treinadores querem. Isso significa menos jogos, mas melhores jogos, e mantendo a proporção de antes: 80% da temporada para competições de clubes, e 20% para competições de seleções”.

Diminuir as pausas para datas FIFA é o caminho, segundo ele: “Com base nisso, minha proposta é reagrupar as Eliminatórias em apenas uma ou duas janelas internacionais. No resto da temporada os jogadores permaneceriam em seus clubes. Isso significaria menos interrupções para os clubes, menos viagens para o jogadores e uma separação clara entre competições de clubes e seleções”.

Sobre as poucas partidas de seleções sul-americanas contra europeias, Wenger disse: “Uma Copa do Mundo mais frequente significaria mais oportunidades para os melhores times sul-americanos jogarem contra os melhores europeus, e não apenas em amistosos, mas em jogos realmente significativos, no palco principal”.