arrow_drop_down
search
Marcello Zambrana/AGIF

Futebol Athletico-PR

Athletico vê Palmeiras sair de cena e Ademir é realidade por R$ 2 milhões; Babi e Botafogo travam negócio com CAP

Bolavip Brasil faz resumão das tratativas do Furacão em reforçar seu ataque para 2021. América-MG faz jogo duro com Palmeiras e CAP volta à ativa por camisa 10, já negociação por Matheus Babi deu uma recuada nesta quarta (07)

Bolavip

Marcello Zambrana/AGIF

Marcello Zambrana/AGIF (Foto: 1021)

Após a liberação na Fifa para retornar ao ritmo de contratações - resolução do caso Rony e o fim do 'transfer ban' -, o Athletico só anunciou um reforço: o lateral-direito Marcinho, ex-Botafogo. A prioridade agora é fazer contratações pontuais visando o setor ofensivo. Matheus Babi, também do Glorioso, e Ademir, do América-MG, já receberam propostas do Furacão nos últimos dias. 

Quem estava mais próximo de fechar era Babi. Após o Fluminense se retirar da negociação e o próprio centroavante de 23 anos escolher o Athletico, Botafogo e CAP bateram cabeça, informou o colega Sérgio Santana, do jornal Lance!. 

Entre Athletico e Serra Macaense, equipe detentora dos direitos de Matheus Babi, está tudo certo: será pago 1 milhão de euros (R$ 8 milhões na cotação atual) por 60% da "fatia" do atacante. O problema é a quantia que os paranaenses vão dar ao Botafogo, além da porcentagem que ficará aos cariocas em caso de vendas futuras. 

Negociação por Babi travou e Athletico e Botafogo devem conversar novamente (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF)

Inicialmente, o Athletico pagaria uma taxa entre R$ 2 a 3 milhões ao Botafogo por Babi. Vale lembrar que o Alvinegro detém 40% de taxa de 'vitrine' do jogador e exige que a quantia seja depositada à vista, dados os problemas seríssimos financeiros em meio à Série B. A tendência é que ambas as partes voltem a conversar até sexta-feira (09). 

Já em relação a Ademir, o Athletico viu o América-MG recusar proposta do Palmeiras de R$ 5 milhões, informou a rádio mineira Itatiaia. Além do valor em dinheiro, o Coelho ainda ficaria com 30% dos direitos econômicos do seu camisa 10. 

No entanto, o time de Lisca faz jogo duro e quer R$ 6 milhões para liberar Ademir. O Palmeiras inicialmente não vai aumentar a oferta, até porque reconhece que já fez todos os esforços pelo atacante. De acordo com a reportagem, o Athletico monitora a situação e pode formalizar nova oferta. 

A primeira proposta do CAP, ainda na época do 'transfer ban', foi de R$ 2 milhões por Ademir. Com o Palmeiras fora de cena, o Athletico tem chances de aumentar a oferta e negociar diretamente com o América, que não parece abrir mão dos planos de manter uma "fatia" do atacante. 

Temas:

Leia também


Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.