Devido às péssimas gestões passadas, muitos clubes estão começando a sentir a crise financeira nesta temporada. Até por isso, o mercado da bola foi muito menos movimentado e disputado como em anos anteriores. Esse é o caso do Fluminense; para piorar, a pandemia do Coronavírus acabou prejudicando mais ainda o clube carioca. Isso porque o Tricolor das Laranjeiras deixou de pagar as parcelas de dois jogadores que foram contratados nesta temporada: Fernando Pacheco e Michel Araújo, atuais gringos do elenco de Odair Hellmann.

No entanto, nesta quarta-feira (15), dirigentes e torcedores do Tricolor das Laranjeiras receberam uma boa noticia vinda do Peru. O Sporting Cristal aceitou que o pedido do presidente Mário Bittencourt e agora o Time de Guerreiros firmará um novo parcelamento da compra de Fernando Pacheco, considerado por muitos a melhor contratação do clube nesta última janela de transferências. 

 

Depois de não ter quitado a parcela e, consequentemente, não ter cumprido o acordo com o Sporting Cristal, o CEO do Tricolor, Fernando Simone, após muitas reuniões, conseguiu convencer a diretoria peruana e fechou um acordo. Para sacramentar o negócio, falta apenas as duas equipes trocarem emails para o novo parcelamento entrar em vigor. Os cariocas temiam não conseguir arrecadar o dinheiro necessário neste momento de crise que os clubes estão passando e acabar sendo punido pela FIFA.

No primeiro combinado, o Fluminense aceitou pagar US$ 700 mil (R$ 2,8 milhões) em sete parcelas. Agora, pagará em dez prestações, com juros incluídos. O Time de Guerreiros conseguiu o novo acordo e escapou de uma possível punição da entidade máxima do futebol porque a diretoria do Sporting Cristal afirmou que tem uma excelente relação com a alta cúpula do Tricolor Carioca.


O elenco está de férias até o dia 30 e abril, como ficou acordo com todos os clubes que disputam as Séries A, B e C do Brasileirão. A FERJ está adotando uma medida para que os clubes cariocas voltem a jogar a partir da segunda quinzena de maio, mas o Flu e o Botafogo já avisaram nas reuniões via videoconferência que só voltam a jogar quando o Ministério d Saúde garantir o bem estar de todos.