Flamengo sugere mudança drástica no Brasileirão

O Flamengo se prepara para receber o Atlético-MG nesta quarta-feira (29) no Maracanã e a torcida rubro-negra trata o confronto como uma decisão. O clássico interestadual vale a permanência na luta pelo título, o que impacta no clima dentro e fora do campo.

Foto: Marcello Zambrana/AGIF – Leila Pereira pode ter que gastar mais no Palmeiras
© Marcello Zambrana/AGIFFoto: Marcello Zambrana/AGIF – Leila Pereira pode ter que gastar mais no Palmeiras
Vídeo: Bolavip Brasil/YouTube – Flamengo briga pelo título Brasileiro com Palmeiras e Botafogo

Se para o técnico Tite está cuidando de quem vai entrar no gramado para a partida, o presidente Rodolfo Landim vem acumulando compromissos por trás das câmeras. O dirigente esteve esses dias em reunião do Carioca e agora organiza um novo movimento.

De acordo com informações da página Paparazzo Rubro-Negro, o Flamengo lidera junto ao Fluminense uma lista de clubes que pedem a CBF a proibição da grama sintética. A intenção é que o tipo do gramado seja banido do Brasil em 2025 ou 2026.

Para que a Confederação leve adiante o pedido, Flamengo e Fluminense organizaram um dossiê com os principais pontos negativos do gramado sintético. No caso, o alto risco de lesões já um fato pelas principais ligas do mundo, inclusive da Europa.

Risco para Athletico-PR, Botafogo e Palmeiras

Caso a CBF aprove o fim do gramado sintético, clubes como Athletico-PR, Botafogo e Palmeiras teriam que reformar o tipo do comum utilizado em seus respectivos estádios. O assunto chegou a ser tratado pelo viés clubista nas redes sociais.

Como é de costume, a discussão sobre uso ou não da grama sintética foi pautada por zoações entre rivais. Os adeptos das instituições que utilizam o gramado, não costumam demonstrar abertura para mudar de ideia. O mesmo acontece com clubes que não utilizam.

Você acha que o Flamengo será campeão Brasileiro?

Você acha que o Flamengo será campeão Brasileiro?

0 PESSOAS JÁ VOTARAM

O assunto deve rolar ainda por um bom tempo, com a possibilidade dos clubes alterarem a grama ao logo do próximo ano, mas apenas se a maioria das equipes concordar com tal mudança. Até lá, a bola segue rolando independente do tipo de campo.

Torcida do Flamengo repercute possível mudança