O imbróglio vivido por Novak Djokovic ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira (14): o Governo da Austália cancelou o seu visto novamente, levantando a chance de deportação do sérvio. Apesar disso, o Australian Open indicou que a programação dos jogos começará pelo lado da chave onde está Djokovic, o que faria o número 1 do mundo estrear logo no primeiro dia de jogos, na segunda-feira (17)

Ainda que não seja uma regra, é uma tradição na maioria dos Grand Slam o campeão do último ano abrir a competição no horário mais nobre. No caso do Australian Open, os principais jogos são colocados na rodada noturna, que ocorrem a partir das 5h (horário de Brasília). Como atual campeão, Djokovic jogaria ainda na segunda, logo ao amanhecer no Brasil. 
Apesar de não estar confirmado que conseguirá jogar, o número 1 do mundo  conheceu o seu primeiro adversário: o também sérvio Miomir Kecmanovic. Já que Djokovic entrou como cabeça número 1, a sua saída do torneio bagunçaria a chave. Em seu lugar, entraria o cabeça 5, o russo Andrey Rublev, que duelaria com Kecmanovic. Caso o Grand Slam libere a lista de jogos com Djokovic, ele seria substítuido por um "luck-loser", jogador que tinha sido eliminado do qualificatório. 
 

Indefinição sobre a deportação de Djokovic continua

Com a notícia de seu visto ter sido negado novamente, desta vez pelo ministro da Imigração, os advogados de Djokovic agiram rápido e entraram com recurso na Justiça Federal. A decisão deve ser julgada na manhã de domingo na Austrália. Antes, o sérvio será escutado numa audiência preliminar no sábado e, depois, voltará a ser confinado e não poderá treinar até a decisão do juiz.