Para o decorrer da atual temporada, o Santos realizou cerca de nove contratações. Dentre as chegadas na Vila Belmiro estão Rodrigo Fernández e Bruno Oliveira, ambos por empréstimo. Inclusive, a dupla tem contrato até dezembro de 2022, mas os dois são monitorados pelo Peixe, que estuda adquiri-los em definitivo. 

A próxima janela de transferências ficará aberta entre os dias 18 de julho e 15 de agosto. Em entrevista ao canal “De Olho No Peixe”, o diretor de futebol do Clube, Edu Dracena, explicou como deve ser a postura no mercado da bola. O Alvinegro Praiano busca de três a quatro reforços pontuais, mas terá paciência. 

“Para essa janela, a gente sabe que temos algumas carências. A gente está analisando bastante o mercado sul-americano e, principalmente, o brasileiro. O brasileiro é mais complicado, porque é muito mais valorizado. Os atletas, financeiramente, ganham mais do que os atletas sul-americanos. Então, a gente está bem atento. Estamos mapeando todo o cenário”, disse o dirigente. 

Questionado sobre saídas, Dracena foi além e disse que parte da torcida pode até ficar chateada, mas será preciso bater a meta estipulada pelo presidente Andrés Rueda. Para este ano, o planejamento financeiro do Alvinegro Praiano prevê a arrecadação de R$ 66 milhões em vendas de atletas. 

“O clube vai ter que ter venda de jogadores. Infelizmente, em um clube brasileiro, a gente vai viver de vendas de atletas. O torcedor vai ficar bravo comigo, vai me xingar, mas infelizmente vai ter que fazer. Mas vai fazer de uma forma que for boa pro Clube. Se não for boa pro Clube, também, não vai fazer. A gente vai vender jogadores que a gente acha que vão resolver o nosso problema”, sinalizou o diretor de futebol.