Os nove finalistas do Main Event da WSOP receberam oficialmente um total de US$ 24.125.000, porém, na pratica as recompensas não são bem essas. Isso porque os impostos são retidos direto na fonte pagadora, comendo boa parte desse valor. No entanto, eles são diferentes de acordo com o país ou estado que cada jogador vive.

O grande campeão do Main Event, o alemão Koray Aldemir, vai sim poder desfrutar até o último centavo dos US$ 8 milhões – isso se ele não tiver nenhum investidor. Para fins ficais ele reside na Áustria e se beneficia do Tratado de impostos EUA-Áustria, que  o libera dos impostos retidos na fonte, além disse, o país que ele reside não tributa ganhos em jogos de azar.

Se Aldemir ainda vivesse na Alemanha, a forra não seria tão grande, porque ele deveria 46% para o governo local, cerca de US$ 3,7 milhões. Já o segundo colocado, George Holmes, vai ter uma parte dos US$ 4,3 milhões recebidos abocanhados pelo Leão. Estima-se que o americano tenha que pagar US$ 1,8 milhão, ficando com US$ 2,5 milhões de lucro.

Quem também se beneficiou de um tratado de impostos com os Estados Unidos foi o terceiro colocado, Jack Oliver e o oitavo lugar, Jareth East. Os dois jogadores são do Reino Unido e não são tributados por ganhos no poker. O medalhista de bronze recebeu US$ 3 milhões e o compatriota dele ficou com US$ 1,1 milhão.

O americano Hye Park que mora em Nova Jersey foi o sexto colocado e terá que contribuir com boa parte de seu prêmio para o fisco. Dos US$ 1,4 milhão que ele recebeu cerca de US$ 650 mil serão retidos, sobrando US$ 750 mil. O argentino Alejandro Lococo é outro que vai pagar alto de impostos. Ele foi o sétimo colocado, recebeu US$ 1.225.000 e deve ter tido 30% desse valor retido direto na fonte pagadora.