É algo rotineiro nos esportes americanos, a maioria deles possuem um Hall da fama e no poker não é diferente. Em todas as edições da WSOP uma nova pessoa entra para esse clube de notáveis. A escolha é feita primeiramente através do voto da comunidade, onde dez nomes são elégiveis. Após isso, os 32 membros vivos da entidade decidem por um nome.

A votação desse ano durou 15 dias e os nomes mais populares foram Eli Elezra, Antonio Esfandiari, Chris Ferguson, Layne Flack, Ted Forrest, Bertrand “Elky” Grospellier, Mike Matusow, Michael Mizrachi, Matt Savage e Isai Scheinberg. A lista apresenta três novidades em relação aos anos anteriores, a começar por Layne Flack, hexacampeão mundial de poker que faleceu em julho.

Bertrand “Elky” Grospellier é outro que alcança esse feito pela primeira vez. O profissional francês é embaixador do site GGPoker, um dos patrocinadores da WSOP e fez história ao conquistar a tríplice coroa dos eventos ao vivo.  O outro é Michael Mizrachi, jogador americano recordista de conquistas no Poker Players Championship.

Uma das principais ausências sentidas na lista foi a do finlandês Patrik Antonius, um dos maiores vencedores nos high stakes online e dono de uma encarada que mete respeito. Para fazer parte do Hall da fama do poker é preciso no mínimo 40 anos de idade, ter jogado contra adversários reconhecidamente de alto nível, participado de high stakes, conquistado o respeito dos colegas e ter resistido ao tempo.

Esse clube de notáveis não é restrito apenas a jogadores de poker. Quem contribuiu com o crescimento do esporte da mente fora dos feltros também pode ser elegível, como é o caso do diretor de torneios, Matt Savage e do fundador do PokerStars, Isai Scheinberger. A escolha do mais novo membro será no dia 17 de novembro.