O Palmeiras bateu o Goiás com tranquilidade por 3 a 0, no Allianz Parque. Com gols de Mayke, Raphael Veiga e Atuesta, o time comandado pelo técnico Abel Ferreira despontou na liderança do Campeonato Brasileiro Série A. Neste momento, são seis pontos de vantagem para o arquirrival Corinthians. 

Na sequência, o Verdão visita o arquirrival, recebe o Flamengo, vai ao RJ encarar o Fluminense e fecha em Bragança Paulista, diante do RB Bragantino. Estes confrontos poderão cravar - ou não - um favoritismo na briga pelo título do Brasileirão, haja vista que serão partidas diretas. Exceto o Massa Bruta, todos os outros três adversários são concorrentes que buscam a ponta da tabela. 

De olho no decorrer da competição, Pilhado abriu o jogo: “Na minha opinião, aquele pênalti é uma vergonha. E outra: a Central do Apito disse que foi penalidade. O jogador está com a mão para trás, virado de costas e a bola bate na mão. A dica da arbitragem é sempre colocar a mão para trás. Ele não tinha o que fazer ali. A bola bate na mão, o árbitro não marca e o VAR chama”, disse. 

“Não acho que tenha interferido no resultado. Agora, acho que o próprio Palmeiras tem que ficar preocupado com um pênalti como esse, porque pode ser um dia prejudicado. Os clubes têm que ficar preocupados, porque um árbitro ver aquilo como pênalti eu acho preocupante”, acrescentou o jornalista Thiago Asmar sobre a cobrança convertida por Veiga. 

Antes de seguir focado no BR22, o Alviverde vira a chave para a Conmebol Libertadores. Abel e companhia chegam mais aliviados para o embate no Allianz Parque, principalmente por terem conseguido buscar o empate em 2 a 2 no Mineirão. O jogo está previsto para quarta-feira (10), às 21h30 (horário de Brasília).