Luiz Adriano já foi dispensado do elenco do Palmeiras que vai encarar a temporada 2022, porém, o Verdão precisa solucionar o futuro do jogador e Anderson Barros lança trunfos no mercado da bola. Uma dessas movimentações deixou a negociação por uma transferência bem perto de acontecer.

Como Barros tem um bom relacionamento com o Botafogo, logo, o atacante foi oferecido ao clube carioca, que já havia sinalizado o desejo de contar com o ex-camisa 10 do Palestra. Assim, as tratativas deram início, porém, o consenso ficou difícil de ser encontrado, já que o Botafogo tinha apenas uma condição para poder concretizar a transação. 

De acordo com reportagem do portal Lance!, os cariocas queriam um empréstimo em que o Alviverde bancaria 70% do salário. O negócio emperrou, pois Leila Pereira determinou que um acerto só poderia ser firmado, se os salários fossem divididos entre os clubes. A nuance salarial é complexa, já que Luiz Adriano recebe em torno de R$ 1 milhão mensais.

Além do montante a ser pago para o atacante ser fora da realidade do Botafogo, outro fator também jogou um balde de água fria no clube de General Severiano, pois quando o jogador foi consultado, a resposta dada aos cariocas indicava que a prioridade de L.A era menos jogar o Mundial de Clubes pelo Verdão. Algo completamente fora de propósito, pois o atacante inclusive não faz mais parte dos trabalhos realizados na Academia.

Luiz Adriano tem data para voltar a treinar nas Alamedas, porém, seguirá realizando atividades afastado do grupo de jogadores palestrinos. O prazo aponta dia 19 de janeiro como retorno do atacante à Academia, tal data, foi firmada como prazo limite para quqe ser staff agilizasse algum destino para o jogador.