Buscando se recuperar no Brasileirão, o Bahia, comandado por Guilherme Bellintani, foi ao mercado e contratou o atacante Marcelo Cirino para fazer dupla com a nova sensação do campeonato nacional: Rodalega. O camisa 88, que concedeu entrevista nesta sexta-feira (24), falou sobre vários assuntos, entre eles o final de sua preparação, como gosta de jogar e rechaçou que seja o salvador da pátria do clube baiano. 

 


“Estou na reta final da minha recuperação. Estou me sentindo muito bem. Agora temos que melhorar um pouco a força, a parte física, para poder ir para o campo. Eu nunca pensei em ser protagonista de algum clube, algum time que tenha passado. Sempre procurei ajudar meus companheiros e aqui no Bahia não vai ser diferente. Espero poder ajudar e colocar o Bahia na melhor posição possível”, disse o atacante, que prometeu se doar bastante para tirar o Esquadrão de Aço da situação em que de encontra.

 


“O Marcelo vai sempre se doar, o Marcelo vai sempre dar o seu máximo e procurar representar bem o clube, a camisa que veste. O torcedor pode esperar isso de mim. Com certeza vou trabalhar bastante para representar bem essa camisa”, afirmou o camisa 88, que explicou como gosta de jogar. 

 

“Sempre joguei pelas beiradas, pelas pontas. Já joguei como centroavante, mas estou aqui para representar o Bahia, ajudar o Bahia. Onde o treinador achar que me encaixo melhor, vou procurar exercer da melhor maneira possível para que a gente alcance os resultados”, concluiu.

 

O Bahia volta a campo no próximo domingo (26), para encarar o Internacional, no estádio do Beira-Rio, em jogo válido pela 22ª rodada do Brasileirão.