O Cacique Kanynary, do povo indígena Apurinã e também há cinco anos à frente da Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus (FOCIMP), criou um time indígena de esports chamado Nativos E-Sports, no qual busca mais representatividade no cenário e busca disputar nos games Free Fire, Mobile Legends e League of Legends: Wild Rift.

Em entrevista para a Metrópoles, Kanynary comentou: "Eu pensei ‘cara, eu conheço tantos jovens que são bons em jogos, não tem um espaço para os indígenas dentro do e-sports. Já que não temos espaço, por que não criar nosso próprio espaço? Isso vai ajudar o jovem a perceber que ele não precisa parar de ser indígena e de ter sua cultura por conta de um jogo" – ressaltando a busca por representatividade.

O Cacique Kanynary ainda disse para o site que o impacto que a discriminação e o preconceito afetam os jovens. "Acaba surgindo a questão de depressão, tendência ao suicídio que aqui na nossa região tem bastante", diz Kanynary, além de destacar que o jogo acaba sendo uma forma de distrair "como um meio de sair dessa visão de sociedade contra os povos indígenas".

A equipe ainda está começando e, no vídeo abaixo, Kanynary divulga as informações de contato para começar na equipe, que ainda não tem lineup de nenhum dos jogos. Por fim, o Cacique ainda destaca que conhece "vários jovens que são players, que tem um grande potencial", mas que ainda falta espaço e futuramente "pode virar um retorno financeiro para a comunidade". Curiosamente, existe uma equipe chamada AMAZONCRIPZ, atualmente na Série B da Liga Brasileira de Free Fire, que é do estado do Amazonas, mas não possui jogadores indígenas.