O Vasco precisava de uma chacoalhada na temporada. A equipe estava longe do sonho de retornar à Primeira Divisão em 2022 depois de um longo período de inconstância na Série B do Campeonato Brasileiro. Mas, após a chegada do técnico Fernando Diniz, o time apresentou uma melhora significativa no seu estilo de jogo e ganhou sobrevida na busca pelo acesso.

Desde que o novo comandante assumiu o controle do time de São Januário, foram oito partidas disputadas. No total do balanço da campanha até aqui, foram quatro vitórias, três empates e apenas uma derrota. Neste último domingo (24), a equipe empatou com o Náutico, nos Aflitos, por 2 a 2, depois de estar vencendo por 2 a 0, e fez uma de suas piores partidas com Diniz.

Apesar do último resultado, há de se constatar que a campanha do Vasco nas mãos de Fernando Diniz é de 62,5%. Aproveitamento, por exemplo, superior ao do líder Coritiba, que tem 61,3% na Série B do Brasileirão. Mas há outros fatores a serem exaltados na equipe cruzmaltina: o atacante argentino Cano e o meia Nenê.

O articulador chegou junto com Fernando Diniz e estrearam pelo Vasco - no caso do jogador foi uma reestreia - contra o CRB. De lá para cá, Nenê atuou em todos os jogos, balançou as redes quatro vezes e deu uma assistência. Já o Germán Cano é o artilheiro da equipe na competição, com 10 gols marcados, e, assim como o novo companheiro, balançou as redes quatro vezes desde a chegada de Diniz.

Com esses números, a dupla chega a uma incrível marca de 72,7% dos gols marcados pelo Vasco desde que Fernando Diniz assumiu o comando técnico da equipe. O que dá oito das 11 bolas da rede nos últimos jogos. Além deles, apenas os atacantes Morato e Gabriel Pec, e o zagueiro Ricardo Graça marcaram.