arrow_drop_down
search
Foto: Bruno Cantini/Flickr do Atlético-MG

Futebol Atlético Mineiro

Pierre conta bastidores da conquista do Atlético em cima do Cruzeiro na Copa do Brasil: “Mexeu com todos os atletas”

O ex-volante é muito prestigiado pela torcida atleticana pela raça que demonstrava em campo durante toda sua passagem pelo time do Galo; em entrevista, ele contou como a equipe se motivou para vencer o maior rival no torneio nacional 

Bolavip

Foto: Bruno Cantini/Flickr do Atlético-MG

Foto: Bruno Cantini/Flickr do Atlético-MG

Pierre foi um volante muito identificado com o Atlético-MG pela garra que demonstrava em campo. No começo do ano passado, o agora ex-jogador anunciava aposentadoria, mas a torcida atleticana guarda carinho por ele até hoje e, em muitos debates, sua importância dentro das quatro linhas sempre é lembrada, principalmente após os títulos conquistados em um período recente. 

Em entrevista ao UOL Esporte, o ex-atleta relembrou momentos marcantes com a camisa do Galão da Massa e contou bastidores da conquista da Copa do Brasil em cima do Cruzeiro, o maior rival. Segundo Pierre, a provocação de Ricardo Goulart, na época, a principal estrela cruzeirense, motivou todos os integrantes do elenco Alvinegro e isso mexeu com eles para a decisão.  

O que ficou mais marcado foi a provocação do [Ricardo] Goulart, que bateu a bandeira no chão e falou que quarta-feira tinha mais. De alguma maneira, mexeu com todos os atletas. A rivalidade já existia, já acontecia. A gente vinha de um bom momento e sabia do bom resultado por ter vencido o primeiro jogo por dois a zero. Quando houve a conquista, houve um momento de euforia, de conquista inédita. Mas, sem dúvida, coroou a melhor equipe do campeonato.”

O ex-volante continuou falando sobre a rivalidade entre Atlético-MG e Cruzeiro. Na sua avaliação, as equipes estavam em um grande momento na ocasião e a rivalidade ficou ainda mais estreitada. Ele também disse que as provocações dos dois lados nunca passaram dos limites, já que os atletas se respeitavam e estavam lá para defender a camisa dos dois clubes. 

 

Se a gente parar para analisar, eram duas equipes que viviam momentos maravilhosos. O Atlético vindo de conquistas de Libertadores e Recopa Sul-Americana. O Cruzeiro vindo do bicampeonato brasileiro seguido. Criou-se uma rivalidade pelo fato de as duas equipes estarem ganhando bastante coisa. Tinha muita rivalidade, a maioria dos jogos eram pegados. Mas a história de Atlético e Cruzeiro diz por si só. Pelo fato de as equipes estarem vivendo momentos maravilhosos, aumentava ainda mais. Tanto que, no final do jogo, teve a discussão do Donizete com o Dagoberto. Mas era algo dentro da normalidade. Quando a gente ganhou do Cruzeiro, o Tardelli e o Marcos Rocha fizeram o 9 a 2 em frente da torcida. Isso tudo serve como arma para o adversário”. 

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.