arrow_drop_down
search
Pedro Vilela/Getty Images Brazil

Futebol Vasco

Paulinho confessa arrumar briga pelo Vasco e exige respeito: "Não aceito que falem mal na minha frente"

Atacante do Leverkusen virou centro das atenções nesta terça-feira (20) por visões políticas e religiosas, desigualdade e também por paixão ao Gigante da Colina, o qual defende com unhas e dentes do outro lado do mundo

Bolavip

Pedro Vilela/Getty Images Brazil

Pedro Vilela/Getty Images Brazil (Foto: 2017 Getty Images, Getty Images South America)

Nesta terça-feira (20), Paulinho, cria do Vasco e atacante hoje do Bayer Leverkusen, virou o centro das atenções nas redes sociais por uma carta publicada no "The Player's Tribune". O jogador de 21 anos abriu o jogo sobre tudo: política, posição política contrária ao governo Bolsonaro (a favor da ciência), desigualdade social e, é claro, recordou seus primeiros passos no futebol, em São Januário. 

O jovem também recordou-se dos dois gols que marcou sobre o Atlético-MG, no Independência, em partida na qual saiu do banco para se tornar herói da equipe na partida. Foi a estreia de Paulinho como titular no profissional do Vasco, em julho de 2017.

"Marcar dois gols na estreia como titular? Nem nos meus melhores sonhos eu poderia imaginar. Na hora, parece que nada acontece. Não vi nem a bola entrando no segundo gol, para dizer a verdade. Só no dia seguinte, quando eu cheguei no aeroporto e vi aquele monte de repórter querendo falar comigo, toda minha família no saguão para me receber, é que a ficha caiu", confessou Paulinho, que está concentrado no Japão junto da Seleção para os Jogos Olímpicos.

Paulinho, camisa 7 do Vasco, acabou com o jogo em BH em 2017: dois gols no Galo (Foto: Pedro Vilela/Getty Images Brazil)

Além disto, falou que a transferência para o Bayer Leverkusen não abalou o carinho pelo Vasco. "Muitos atletas que vão jogar lá e não sabem o que é o Vasco. Não sabem da história, muito menos por que a torcida é tão apaixonada, mesmo com o time enfrentando dificuldades".

Paulinho deixa claro que não tolera brincadeirinhas e comentários negativos sobre o clube do coração. Caso contrário, briga na certa. "Na época de seleção de base, a galera pegava no meu pé, porque o clube estava na Segunda Divisão. E eu comprava briga, sempre. Não aceito que ninguém fale mal do Vasco na minha frente. A história do clube é muito bonita, precisa ser respeitada".

Atacante se transferiu do Vasco para a Bundesliga no segundo semestre de 2018 (Foto: Jörg Schüler/Getty Images Germany)

A crise financeira fez o Vasco vender Paulinho rapidamente. Em julho de 2018, o atacante acabou defendendo o Leverkusen, com apenas 18 anos, em operação que custou 20 milhões de euros (cerca de R$ 85 milhões na cotação da época). O Vasco, que tinha direito a 65% do valor total, embolsou algo em torno de R$ 55,25 milhões. 

Temas:

  • Vasco
  • Paulinho
  • Série B

Leia também


Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.