arrow_drop_down
search
Botafogo v Flamengo - Brasileirao Series A 2019

Futebol Flamengo

PVC vê Ceni fracassar em espelhar time em Jorge Jesus e vai além: "O português deu risada"; atual técnico do Fla não é unanimidade no clube

Desde sua chegada, Rogério Ceni deixava claro que gostaria de repetir a fórmula do português no seu time em 2020. Nem mesmo o octa brasileiro foi o suficiente para convencer a Nação e a direção rubro-negra

Bolavip

Botafogo v Flamengo - Brasileirao Series A 2019

Botafogo v Flamengo - Brasileirao Series A 2019 (Foto: 2019 Getty Images, Getty Images South America)

O octacampeonato brasileiro, conquistado na última quinta-feira (25), salvou uma temporada que vinha sendo frustrante para o Flamengo. Após a saída de Jorge Jesus, o Mengão desandou nas "Copas" - na Libertadores e Copa do Brasil, o time comandado por Rogério Ceni foi eliminado precocemente. Coube então ao desempenho no Nacional compensar as frustrações anteriores.

E olha que o Mengão se sagrou campeão precisando depender do resultado do rival Internacional até o último minuto. Ao perder para o São Paulo por 2 a 1 no Morumbi, Ceni precisou ficar ligado no celular para acompanhar os gaúchos contra o Corinthians. O empate no Beira-Rio definiu as ações, por isso o desempenho de Ceni ficou longe da unanimidade.

Muito pelo contrário. Houve quem afirmasse que o Flamengo foi campeão "apesar" do treinador, que chegou com respaldo de ótimo desempenho no Fortaleza. Mas parece que os conceitos entendidos no Nordeste não casaram com a realidade do Mengão. Por exemplo, as entradas de Matheuzinho e João Gomes já para o final da partida - e com a equipe precisando da virada no Morumbi para não depender do resultado do Inter - revoltaram a Nação na web.

No programa "Seleção SporTV", desta sexta-feira (26), o comentarista Paulo Vinicius Coelho (PVC) disse que Ceni tentou "espelhar" sua equipe baseada nos tempos áureos de Jorge Jesus. O jornalista do grupo Globo tratou de relembrar que o português parecia não acreditar no que o atual técnico quis implantar - a diferença entre os dois ainda é abissal.

"Eu sei quando Jorge Jesus ouviu essa expressão, o Jorge Jesus riu, porque a formação cultural de futebol do Jorge Jesus é diferente do Rogério Ceni. Ontem mesmo, quando ele tira o Diego e coloca o João Gomes, ele mostra ainda que, por instinto, ele prefere o mais forte, o mais alto, o mais experiente na hora do aperto", analisou PVC.

Temas:

Leia também


Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.