Nem vantagem de dois gols construída na primeira parte do confronto, nem “bicho” milionário oferecido pela Diretoria. Goleado pelo Corinthians na Neo Química Arena, o Atlético-GO foi eliminado da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (17). O Dragão chegou a Itaquera para enfrentar os corinthianos com uma boa vantagem para administrar:

O placar de 2 a 0 feito no jogo de ida. E com direito a um bom incentivo como aperitivo: dos R$8 milhões de premiação que a CBF destina aos semifinalistas, metade seriam distribuídos pelo elenco Rubro-Negro em caso de classificação. Mas, esses fatores não foram suficientes. O Corinthians abriu o placar com Gil, de cabeça, aos 41 minutos de jogo. As equipes foram para o intervalo com o Atlético ainda classificado.

 

No segundo tempo, Yuri Alberto decidiu o embate. O centroavante, que ainda não havia marcado com a camisa alvinegra, foi às redes três vezes e abriu 4 a 0 para os donos da casa. Wellington Rato descontou para o Dragão. Dois dos quatro gols corintianos foram de cabeça. O primeiro, anotado por Gil, e o terceiro, com Yuri Alberto cabeceando após cruzamento de Renato Augusto

A bola aérea foi um dos fatores criticados por Rato na atuação do Atlético, que culminou na eliminação do Clube na Copa do Brasil. "A gente tinha uma vantagem, mas sabia que seria um jogo difícil. Não podemos tomar dois gols de bola parada, mas já passou e temos que esquecer a Copa do Brasil. Sabíamos que o Corinthians ia empurrar a gente, temos que usar de aprendizado e não podemos aceitar", analisou o atacante.