arrow_drop_down
search
Hernanes: livre no mercado da bola (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

Futebol Vasco

"Gostaria de me encaixar num clube no Brasil"; especulado no Vasco, Hernanes abre o jogo sobre futuro

O experiente meio-campista vem recebendo contatos e irá decidir o futuro da sua carreira em breve; o Gigante da Colina seria um dos interessados 

Bolavip

Hernanes: livre no mercado da bola (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

Hernanes: livre no mercado da bola (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

O experiente Hernanes rescindiu seu contrato com o São Paulo e está livre no mercado da bola para assinar com qualquer outra equipe. Atualmente com 36 anos, o meio-campista deseja continuar no futebol brasileiro e vem avaliando contatos recebidos nos últimos dias. Um dos clube interessados em contar com o futebol do medalhão seria o Vasco

Conforme o portal "Vascaíno.net", o Gigante da Colina deseja contar com o meia e a procura teria sido realizada pelo diretor Alexandre Pássaro, que trabalhou com o jogador no clube paulista. Além do Vasco, outra equipe que está de olho em Hernanes é o Bahia, que já teria consultado os representantes do jogador há cerca de um mês. 

Em entrevista ao programa "Bem, Amigos!", do SporTV, o medalhão abriu o jogo e expôs seu desejo. "Na verdade eu gostaria muito no Brasil, estou com muita vontade de jogar o Brasileirão. Fiquei alguns jogos no banco, estava com muita vontade mesmo. Já joguei vários campeonatos, a Série A da Itália, mas o Brasileirão tem uma magia legal. Gostaria muito de me encaixar num clube aqui no Brasil", garantiu. 

Meia quer seguir no futebol brasileiro após deixar o São Paulo (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)
Meia quer seguir no futebol brasileiro após deixar o São Paulo (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

"Já chegaram (contatos), estou avaliando e pensando com cuidado. Tem cidade que só tem um clube (risos)", adicionou Hernanes. Ainda com futuro indefinido, o meia, que só foi utilzado pelo técnico argentino Hernán Crespo em nove jogos na temporada 2021, avaliou o melhor posicionamento para atuar dentro das quatro linhas. 

"Um clube que não tenha tanta competição e precise que eu esteja bem, vai me dar uma atenção e tempo maior. É o que eu preciso. E o treinador entender a posição que quero jogar, me sinto melhor e possa ajudar e ser útil (...) Minha posição é ali, segundo volante, desde que a gente tenha atrás três zagueiros. Eu preciso de uma rede de proteção atrás de mim, eu não posso ser a rede de proteção", analisou.

Temas:

Leia também


Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.