A classificação inédita para a Copa Libertadores da América trouxe alegria para o torcedor do Fortaleza, além de marcar um novo capítulo na história do Clube. Enquanto 2022 não chega, a diretoria tricolor segue trabalhando para reforçar o elenco comandado por Juan Pablo Vojvoda e, além disso, busca um nome de peso na mídia. Isso quase se tornou realidade durante a última temporada, quando o Leão tentou a contratação de Lucas Podolski.

O atacante alemão, que foi tetracampeão do mundo em 2014, não veio, pois acertou com o Gornik Zabrze, da Polônia. Além de Podolski, o Fortaleza também negociou com Demba Ba, atacante senegalês que fez sucesso no futebol inglês defendendo as cores do West Ham, Newcastle e Chelsea. A exemplo do alemão, Demba Ba também não fechou com o Tricolor do Pici, e acabou vestindo a camisa do Lugano, da Suíça, em julho deste ano.

Em entrevista à Rádio Verdes Mares, o presidente do Leão, Marcelo Paz, não descartou a chegada de um reforço internacional para 2022: “O Atlético-MG foi campeão com oito estrangeiros, claro que só atuam cinco, então olhamos sim para o mercado internacional ainda, mas dando preferência aos nomes nacionais. Para vir um internacional teria que ser uma posição muito específica, um nove ou um 10, uma qualidade elevada, não mais para compor, mas para qualificar bastante”, disse.

Vale lembrar que, dos quatro reforços contratados pelo Fortaleza nesta janela de transferências, dois deles são estrangeiros: os zagueiros Anthony Landázuri (equatoriano) e Brayan Ceballos (colombiano). Internamente, o desejo por um nome de peso é visto como uma forma de valorizar a marca do Leão em âmbitos continentais e mundiais, além de agregar tecnicamente dentro de campo. Com isso em mente, a diretoria tricolor continua atenta ao mercado da bola.