A seleção chilena foi mais uma das que não conseguiram pontuação suficiente nas eliminatórias para se classificar para a Copa do Mundo no Catar, em dezembro deste ano. Entretanto, a delegação chilena está tentando uma 'nova maneira' garantir a sua vaga na competição. 

 

 

Isso porque, segundo o portal GloboEsporte.com, a Federação de Futebol do Chile apresentou uma denúncia contra o Equador, mais especificamente, contra o lateral Byron Castillo. Caso seja comprovado, os equatorianos podem ser punidos com perda de pontuação nas partidas que o ala atuou pela sua seleção. 

 

 

O Chile alega que a Federação equatoriana usou "certidão de nascimento falsa, falsa declaração de idade e falsa nacionalidade por parte do lateral-direito", o que é constituído como ilegal. Com isso, os chilenos exigem que a seleção equatoriana perca os pontos das 8 partidas que o jogador disputou, e que os adversários recebam 3 pontos pelas partidas, o que levaria a seleção chilena a Copa do Mundo. 

 

 

"Entendemos, com base em todas as informações e documentos compilados, que os feitos são demasiado graves e devem ser investigados a fundo pela Fifa. Existem inúmeras provas de que o jogador nasceu na Colômbia, na cidade de Tumaco, no dia 25 de julho de 1995, e não em 10 de novembro de 1998, na cidade equatoriana de General Villamil Plavas", alega o Chile através de nota oficial. 

 

 

Os equatorianos se classificaram em quarto lugar para a Copa do Mundo, com 26 pontos, o Chile foi eliminado em sétimo. Entre às duas seleções, em quinto e sexto, estão Peru e Colômbia, que não enfrentaram o Equador com Castillo, o que não daria ponto às duas seleções caso houvesse a punição, e assim o Chile entraria na vaga do Equador.