Rodrigo Caio está fora do fim da temporada do Flamengo. Após um 2022 complicado e longe dos gramados, o Clube afirmou, nesta quinta-feira (22), que o zagueiro será submetido a um novo procedimento cirúrgico, em razão de um problema no joelho, sofrido no dia 10 de julho, contra o Corinthians, em partida válida pelo Brasileirão.

De acordo com Márcio Tannure, chefe do departamento médico do Flamengo, o zagueiro havi apresentado uma resposta positiva ao tratamento conservador da lesão, ou seja, sem cirurgia. Contudo, o método não foi suficiente para a cicatrização e o atleta passará por uma artroscopia, passando por um período de seis a oito semanas de recuperação. 

No entanto, a situação não agradou nem um pouco  o jornalista Renato Maurício Prado, que detonou o trabalho de Tannure com os atletas. “Se olharmos outros casos, como o Pedro, por exemplo. No final do ano passado, ele estava com um problema no joelho e o Tanure querendo tratar convencionalmente. O Pedro, então, procurou um ortopedista fora do Flamengo e foi avisado que era necessário operar. O Tanure tentou tratamento convencional neste caso também. Vamos lembrar do Fabrício Bruno, que chegou e levou aquele pisão no pé. O Flamengo ficou tentanto, tentando e ele não se recuperava. Até que foi levado a uma médica e alertou que era preciso cirurgia, tinha uma fissura”, disse Renato.

E as críticas não pararam por aí. Apontando Tannure como o 'vilão' da saga de Rodrigo Caio, o jornalista ainda pediu a saída do chefe do departamento médico, após mais uma falha no tratamento de atletas. “Agora, o Rodrigo Caio se junta a essa turma. Enfim, de novo uma incompetência do Tanure. E o Flamengo fica empurrando com a barriga essa questão, pois ele é muito amiguinho de dirigente, ele puxa saco de jogador e atende tudo que é parente de graça. O Flamengo tem que ser profissional, ter o melhor ortopedista trabalhando para ele”, completou.