Dois clubes brasileiros conquistaram a oportunidade de disputar a fina da Copa Libertadores da América. Flamengo e Palmeiras se enfrentram no dia 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. E a segurança da partida ganhou reforço da Comissão de Disciplina da Conmebol que poderá punir as equipes caso haja confronto entre as torcidas.

A rivalidade entre Flamengo e Palmeiras é grande e a tensão já paira no ar, e de acordo com o jornalista Mauro Cezar Pereira, do UOL, mensagens das organizadas de ambas as equipes geram preocupação e denuncia o risco de brigas entre os torcedores, desde a saída no Brasil até o dia o dia em que será conhecido o campeão da competição continental.

Um outro temor da Confederação responsável pela segurança da competição, é que haja confusões com torcedores de equipes locais como os do Peñarol, time local com o qual ambas as equipes brasileiras tem um histórico marcado por brigas.

Para evitar os confrontos, a Conmebol solicitou que ambos os times realizem campanhas de conscientização para abolir a violência. Além disso as equipes poderão sofrer sanções financeiras e até ter partidas realizadas sem a presença dos torcedores.

"As associações membros e os clubes são responsáveis pelo comportamento de seus jogadores, oficiais, membros, público presente, torcedores, assim como qualquer outra pessoa que exerça ou possa exercer algo em seu nome" diz o artigo 9 do Código de Disciplina da Conmebol. Sendo assim caso ocorram tumultos equipes poderão sofrer punições que variam de acordo com a gravidade do ocorrido.

 A multa, por exemplo, vária entre US$ 100 a US$ 400 mil, e além do prejuízo financeiro podem ocorrer punições esportivas vão desde jogar com portões fechados por um número determinado de partidas até a proibição de disputar uma competição futura. As policias brasileira e uruguaia estão em contato para tentar acompanhar o trajeto dos ônibus e a chegada das torcidas em Montevidéu.