Os dirigentes do Flamengo foram a Portugal em busca de um técnico para a próxima temporada, já que a equipe está sem comandante desde a saída de Renato Gaúcho. O alvo principal dos executivos era Jorge Jesus, mas voltaram com Paulo Sousa. A definição do novo treinador contornou mais polêmicos após Jorge Jesus deixar o Benfica pouco depois da equipe Rubro-Negra acertar com o novo técnico.  

 

Durante a live no programa ‘UOL Esporte’ desta quarta-feira (29), os jornalista Renato Maurício Padro e André Rocha falaram sobre as negociações para contratar um novo técnico para o Flamengo. Para Renato, a diretoria esportiva desperdiçou a oportunidade de contratar Jorge Jesus: "A enorme bobeada do Flamengo foi ter se deixado levar pela pressão do Paulo Sousa. O agente dele foi o cara que deu xeque-mate nessa situação. Chegou para os dirigentes do Flamengo e disse 'olha, se vocês não fecharem com a gente, vamos para o Internacional'. O Flamengo deveria ter dito que pagava para ver e esperaria pelo Jorge Jesus"

Renato achou precipitado o acordo fechado com Paulo Sousa para comandar o Mais Querido: "O Marcos Braz [vice-presidente de futebol do Flamengo] me disse, em entrevista, que também tinha o Carlos Carvalhal na mão, mas preferiu o Paulo Sousa. Ele ficou muito bem impressionado na conversa que teve com Paulo Sousa e achou que seria uma opção melhor que o Carvalhal. Se ele tinha o Carvalhal na mão, tinha a obrigação de esperar até o dia 30 e não se render ao xeque que o agente do Paulo Sousa deu sobre ele. A verdade é que o Flamengo deixou escapar a grande oportunidade. Jorge Jesus seria o técnico do Flamengo agora", lamentou

Em contraponto, André Rocha ressaltou que JJ esperava ainda dar a volta por cima no clube e permanecer no Benfica: "De tudo que tenho conversado com várias pessoas, com o próprio Marcos Braz e com amigos portugueses que são muito próximos aos agentes que trabalham com Jorge Jesus, a sensação que eu tenho é a seguinte: Jorge Jesus queria, na verdade, continuar no Benfica. Ele não afastava a possibilidade de voltar ao Flamengo. Ele disse isso ao Marcos Braz e dizia que tudo dependia do Benfica. Acho que ele tinha a esperança, infundada, de que ainda poderia se recuperar no Benfica", ressaltou

Com Paulo Sousa no comando da equipe e sem Jesus, de acordo com Renato, o Flamengo se arriscou na contratação: "Conheço pouco do trabalho do Paulo Sousa, como quase ninguém conhece. Nem em Portugal ele é tão conhecido, porque só treinou equipe júnior por lá. Passou por dez países, mas não fez nada relevante em nenhum deles. Ganhou um Israelense [pelo Maccabi Tel Aviv] e um Suíço [pelo Basel]. Uma coisa me assusta: a média de aproveitamento do Paulo Sousa é de 50%. Em nenhum clube ele tem aproveitamento capaz de fazê-lo campeão brasileiro. Pode ser que aqui, em um time melhor, tenha um aproveitamento maior, mas continuo achando uma aposta de altíssimo risco", concluiu