Enquanto a mídia acompanha a saga entre Novak Djokovic e o governo australiano dentro do mundo do tênis, um outro tênista ganha as manchetes dos jornais, principalmente dos jornais argentinos. O tenista Juan Martin del Potro, ex-número 3 em 2018, se prepara para retornar as quadras, visando o ATP 250 de Buenos Aires, com previsão de início em 7 de fevereiro. Entretanto, o mesmo vive um certo drama na vida pessoal.

Nesta tarde da última quinta-feira (13), uma emissora de TV argentina revelou que o falecido pai do campeão do US Open-2009 causou um prejuízo de cerca de $30 milhões de dólares nos anos em que administrou suas finanças. O pai de Juan, Daniel Del Potro, era o responsável por administrar os contratos do filho e contraiu dívidas milionárias, deixando ao filho 10% de seus ganhos

No programa “A la tarde”, da emissora America, Karina Mazzocco disse: "Ele não deve ter mais de US$ 3 milhões no banco. É muito dinheiro, claro, mas ele achou que nunca mais precisaria trabalhar na vida quando percebeu esse desastre." Daniel Del Potro, que era veterinário, faleceu em 2021. De acordo com os jornalistas da América, o pai de Juan Martin desperdiçou a fortuna do filho em maus investimentos em diversas áreas.

Por exemplo, ele tentou plantar soja em área alugada de 9 mil hectares, gastou com equipamentos, mas não teve sucesso esperado. O resultado dos investimentos fracassados são os empréstimos não pagos. "Quando o pai morreu, os devedores bateram à sua porta porque o pai não sabia administrar o negócio”, contou Flor de la Ve. A dívida está agora nas mãos de um contador de prestígio.