O Corinthians foi a julgamento nesta quinta-feira (23), pelo Superior Tribunal Federal de Justiça Desportiva (STJD), mas a sessão foi adiada e o novo julgamento ainda não teve a data estipulada. Diante disso, o Timão será enquadrado pelo artigo 243-G, que prevê como punição a perda de pontos no Campeonato Brasileiro.

O Clube do Parque São Jorge está sendo julgado por gritos homofóbicos que ocorreram durante o confronto diante do São Paulo, disputado em 22 de maio, na Neo Química Arena, em partida válida pelo Brasileirão. Após a partida, o presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, repudiou a atitude dos torcedores.

“A gente é totalmente contrário a este tipo de cântico, da mesma forma que falei do racismo. A gente vem conversando com os torcedores, fazendo campanhas contra a homofobia. Hoje, todas as vezes que a torcida cantou, colocamos no telão, a locutora do estádio reprimiu, porque não achamos correto. O futebol está mudando no próprio jogo, hoje depois dos avisos a torcida mudou o canto”.

“Temos que insistir, vocês são importantes nisso para que a gente acabe com qualquer tipo de discriminação. Estamos em 2022, isso não faz sentido”, destacou. O Timão ainda será julgado por objetos que foram arremessados no gramado. Conforme o artigo do STJD prevê como pena uma multa entre R$ 100 a R$ 100 mil.