O Santos foi goleado pelo Corinthians por 4 a 0 na última quarta-feira (22), na partida de ida válida pela Copa do Brasil, disputado na Neo Química Arena. Durante o programa ‘Bate Pronto’ desta quinta-feira (23), o jornalista Mauro Cezar Pereira comentou sobre as declarações do técnico após a partida.

Quando questionado sobre a reação do elenco santista diante da entrevista do comandante, o comentarista da Jovem Pan ressaltou que nenhuma equipe é refém de jogador. “Parece que o jogador de futebol é uma entidade superior. Que se dane se o jogador gosta ou não gosta. Os caras entram em campo, não jogam nada, o time é humilhado, o torcedor do Santos está ‘P’ da vida, aí vai ficar preocupado se o fulaninho vai gostar ou não. Dane-se se não vai gostar”.

“Isso tem que mudar. Que história é essa? O clube nunca pode ser refém de jogador nenhum. São reféns porque os dirigentes são omissos e bananas muitas vezes. Aí deixam a bucha na mão do técnico, usam como escudo, não se envolvem na dividida e muitas vezes o grupo ganha”, completou Mauro.

As declarações do técnico Fabián Bustos repercutiram bastante. O comandante destacou que a equipe não foi ‘competitiva’ e criticou a postura do elenco durante o confronto. Com essa goleada sofrida no clássico, o técnico fica pressionado no cargo. “Uma vergonha. De verdade, uma vergonha. Não sei com que cara olharei as pessoas do Santos”.

“Uma vergonha pelo que fizemos e como nos comportamos em campo, sem competir. Temos que mudar a atitude e fazer o que fizemos contra Palmeiras, Inter, Atlético-MG... Essa é a nossa equipe. Não a equipe de hoje, que foi uma vergonha. Não lembro de ter visto o que vi hoje nos meus últimos cinco ou seis anos”, declarou durante coletiva.