Já se passaram mais de duas semanas de janela aberta no Brasil e o Santos ainda não anunciou nenhuma contratação de impacto para o técnico Lisca. Os dois nomes mais próximos eram do lateral-direito Lucas Blondel, do Tigre-ARG, e do meia Franco Cristaldo, do Huracán-ARG, porém, de acordo com o colega Lucas Musetti, setorista do Peixe no UOL Esporte, ambas as tratativas esfriaram. 

Mas o que houve? "A diretoria do Santos teve problemas com a "inconsistência" dos dirigentes argentinos", resumiu Musetti. Sobre Blondel, nome ideal para a LD aprovado por Lisca e o Conselho Gestor, o Peixe ouviu o "sim" do Tigre para a proposta de US$ 1,5 milhão (cerca de R$ 7,7 milhões na cotação atual) com pagamento em dois meses pelo ala.

"O Santos apresentou garantias financeiras via Pixbet, sua patrocinadora máster, e depois o clube argentino alegou que a equipe brasileira tem histórico de calotes e exigiu a transferência à vista. Um intermediário ainda tenta remediar a situação", completou o setorista do Alvinegro Praiano em matéria desta quarta-feira (3). 

Sobre Cristaldo, o Huracán aceitou a oferta de R$ 18 milhões do Santos pagos em duas vezes (uma em setembro e outra em outubro), só que os argentinos "alegaram que necessitam do dinheiro contado. Além disso, pediram 48 horas para resolver questões econômicas com o meia e para acertar a comissão para intermediários", completou Musetti. 

Ambos gostaram da ideia de defender o Santos, inclusive Cristaldo seria o novo camisa 10 na Vila Belmiro, inclusive, os empresários do armador estariam tentando contornar o imbróglio. No que depender do presidente Andres Rueda, o negócio já virou passado.