A história do Monstro do Lago Ness, que seria uma criatura de pescoço comprido e que viveria nas profundezas de um lago na Escócia, é uma legenda antiga e propagada no mundo todo. Apesar de ser um "mito", alguns cientistas têm alegado que essa história pode ser mais verdadeira do que imaginávamos.

A descoberta de plesiossauros sugeriu que a criatura pode ter vivido em água doce. Com isso, muitos passaram a acreditar que o animal pertence a ordem de répteis marinhos. Os plesiossauros seriam répteis extintos há cerca de 65,5 milhões de anos, mas, de acordo estudos, viviam em água salgada.

Pequenos fósseis dessa ordem foram encontrados em um sistema fluvial de 100 milhões de anos, no deserto do Saara, na região de Marrocos. O achado recente, feito por cientistas da Universidade de Bath e da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, revelou dentes que dão algumas pistas sobre os animais. A descoberta dos dentes mostrou um certo desgaste.

O líder do estudo, Nick Longrich, comentou sobre o assunto: "Os ossos e dentes foram encontrados espalhados e em diferentes localidades, não como um esqueleto. Assim, cada osso e cada dente é um animal diferente. Temos mais de uma dúzia de animais nesta coleção". Os ossos mostram o ecossistema antigos e os animais que ali habitavam. Segundo a Universidade de Bath, a descoberta mostrou que o mito é "plausível".