O Golpista do Tinder, acredite ou não, é baseado em uma história real. Shimon Hayut usava o nome Simon Liev para conversar com mulheres no app e se aproximar delas, visando arrancar grandes somas -- e com isso, conseguiu manter um padrão de vida bem alto.

O documentário que conta a história do criminoso e de algumas de suas vítimas chegou à Netflix e fez barulho inesperado. Ninguém contava com a popularidade do tema, e a julgar pelo que vem sendo compartilhado nas redes sociais, muito menos com quantas pessoas passaram pelo mesmo problema, com maior ou menor prejuízo.

O enredo do israelense tocou fundo no público porque faz um alerta a respeito do uso desses aplicativos para golpes. Nesse sentido, o documentário agora no streaming é didático ao mostrar como Hayut manipulava emocionalmente suas vítimas e as convencia de enviar dinheiro a ele quase sem desconfiança imediata, o que só acontecia quando ele desaparecia para aplicar o mesmo golpe em outra pessoa.

Vale a pena ver O Golpista do Tinder?

Ainda que O Golpista do Tinder seja um tanto quanto esquemático como produto audiovisual, ele acerta bastante ao falar de forma clara sobre os crimes cometidos pelo rapaz na década de 2010, mas também ao mostrar os efeitos de seus golpes nas vítimas -- e como elas se uniram na busca por justiça.

No mínimo, vale uma olhada no documentário da Netflix, que conta uma história impressionante e que pode estar muito perto de nós. Apesar de todos os cuidados, a internet ainda é um terreno fértil para golpistas e estelionatários que estão esperando apenas uma oportunidade para atacar.