Mike Tyson, 55 anos, revelou ter fumado veneno de sapo e afirmou que realizou a experiência como um desafio que mudou sua vida para melhor, em entrevista ao New York Post. Defensor do "sapo", veneno expelido pelo anfíbio conhecido como Bufo alvarius, ele contou: "Fiz isso como um desafio. Eu estava usando drogas pesadas como cocaína, então, por que não? É outra dimensão. Antes de usar o ‘sapo’, eu estava arrasado. O oponente mais duro que já enfrentei fui eu mesmo."

"Eu tinha baixa autoestima. Pessoas com grandes egos muitas vezes têm baixa autoestima. Usamos nosso ego para disfarçar isso. O ‘sapo’ tira o ego", disse. O astro do boxe estava pesando 45 quilos a mais, além de estar se drogando e bebendo, quando um amigo o indicou o veneno do sapo. Tyson ainda disse que já usou a substância mais de 50 vezes, o que o ajudou a perder os 45 quilos em sua pior fase.

Ele também relatou que voltou a lutar boxe, além de se reconectar com a família: "Isso me deixou mais criativo e me ajuda a me concentrar. Estou mais presente como empresário. As pessoas veem a diferença (em mim). Se você me conhecesse em 1989, você conheceria uma pessoa diferente. Minha mente não é sofisticada o suficiente para entender o que aconteceu, mas a minha vida melhorou. O propósito do ‘sapo’ é atingir seu maior potencial."

"Eu olho para o mundo de forma diferente. Somos todos iguais. Tudo é amor", comentou Mike, que também conheceu a morte mais de perto: "Eu 'morri' durante minha primeira viagem. Nas minhas viagens, eu vi que a morte é linda. A vida e a morte têm que ser bonitas, mas a morte tem uma má reputação. O ‘sapo’ me ensinou que não vou ficar aqui para sempre. Há uma data de validade", refletiu.

O boxeador finalizou, afirmando que espera que possa comercializar psicodélicos em breve: "Estou lutando para que os psicodélicos se tornem remédios que você possa comprar no balcão", disse.