A cantora Anitta conquistou uma legião de fãs, no entanto, sempre foi alvo de críticas de haters nas redes sociais. Sem medo de falar o que quer, a artista de Honório Gurgel conseguiu construir uma grandiosa carreira não só no Brasil, mas também internacional.

Em uma entrevista especial à Vogue, ela abriu o jogo sobre sua relação com fãs e os ataques de haters ao longo de sua carreira. A dona do hit “Envolver” revelou que acompanha seus seguidores, mas que nem sempre soube lidar com as críticas negativas em relação ao seu trabalho. "Leio eventualmente (críticas e agressões). Não sou uma stalker de mim mesma, não. E não recomendo. Já lidei mal com o ódio alheio. Hoje, penso que no fundo, todo hater é fã pedindo atenção", conta.

A cantora também detalhou uma estratégia de viver uma pessoa diferente na vida real em comparação com a de forma artística. "É um escudo, sou bem diferente na vida real. Quando estou de Larissa, sou bem ao contrário. Precisei criar essa capa que faz, que acontece, que fala. E que fala muitas vezes mais do que eu realmente faço, justamente para provocar a sociedade a conversar sobre o assunto, para que passem a aceitar pessoas que são diferentes".

Em seguida, a artista afirmou que isso não é para gerar polêmicas: “É para mostrar a controvérsia, para entenderem que uma pessoa pode ter uma vida aberta, doida, uma vida do jeito que ela quiser ter. Acho que no Brasil já abri muitas portas para as mulheres”, finalizou.