Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) é um jogo que sofre muito com trapaceiros que usam cheat para eliminar os oponentes, ou até ver pelas paredes, e na manhã de 5 de junho um ban wave aconteceu, punindo um total de 9.920 jogadores.

 

Uma ban wave é feita pela Valve para punir quem utiliza programas externos para ganhar vantagem competitiva, algo que infelizmente é comum no CS:GO, em que eles fazem uma leitura completa para punir os jogadores suspeitos que estão usando o programa ilegal no momento da verificação.

Diferente de um banimento VAC (Valve Anti-Cheat), que é feito após denúncias e ainda precisa de algumas verificações de jogadores, o ban wave é feito ao vivo e dificilmente os jogadores conseguem burlar esse sistema.

 

A última ban wave foi realizada em agosto de 2020 e raramente são feitas. Por isso, quando acontecem, elas pegam muitos trapaceiros de surpresa, já que o VAC ativo constantemente não consegue fazer o mesmo trabalho de proteção. O diferencial dessa vez foi que jogadores que pagaram para alguém subir de nível também receberam punição, uma punição menor que o banimento permanente por hack pode ter sido aplicada, mas não há informações concretas além do número de punidos.

A Valve reverteu o sistema de gratuidade do CS:GO em 3 de junho e agora os jogadores da versão grátis precisam comprar o Prime para receber experiência, patentes, itens no fim de partidas ou ranks de Grupos de Habilidade – algo que estava disponível até na versão gratuita. No entanto, ainda é possível jogar normalmente caso não esteja interessado nessas recompensas.