Awake, o mais novo thriller de suspense da Netflix, conta uma história que não só prende a nossa atenção logo de cara, como também apresenta um mundo completamente novo, dado o inusitado da situação que é mostrado no decorrer do filme. Isso porque, mexe com um medo muito particular de qualquer pessoa.

A história acompanha Jill, uma ex-soldado, interpretada por Gina Rodriguez, que vive em um mundo pós-apocalíptico onde as pessoas perderam a capacidade de dormir. Isso fez com que as pessoas começassem a agir de forma estranha, por causa da falta de sono. Quando a encontramos, a humanidade está à beira de um colapso, porque as pessoas estão perdendo o juízo devido ao problema.

Jill tem uma filha, a quem tenta proteger a todo custo. Descobrimos então que essa menina é que pode ser a chave para a salvação da humanidade, já que se desconfia que ela tenha o poder necessário para curar as pessoas da “maldição” do sono. Então, Awake passa a mostrar a jornada de mãe e filha tentando sobreviver em um planeta cada vez mais insano.

A premissa do filme já é um convite para assisti-lo. Awake consegue criar esse mundo estranho, onde as pessoas estão permanentemente despertas, e começam a agir com violência dado a falta de descanso. O planeta que encontramos na história já está arrasado, e a direção de arte e a fotografia nos mostram isso com detalhes: os lugares estão sujos, abandonados, vazios. E nós, enquanto espectadores, sentimos isso.

Boa parte da força de Awake está, além da parte técnica muito bem feita, nas atuações. Gina Rodriguez entrega um trabalho formidável como Jill, a ex-soldado que tenta, à todo custo, proteger a sua filha de um mundo cada vez mais incompreensível. A menina, que se chama Matilda e é interpretada por Ariana Greenblatt, também tem uma atuação muito bem estruturada, principalmente depois que descobrimos que ela pode ser a chave da salvação do planeta. As duas, juntas, entregam a alma do filme e fazem isso muito bem.